UFC Vegas 46: UFC inicia o ano de 2022

O ano de 2022 começou para o UFC. No primeiro evento do ano, apesar da saída repentina de Michel Pereira do card (seu adversário, o português Andre Fialho foi testado positivo para a Covid-19) e da quase ausência de nocautes (9 lutas terminaram na decisão dos juizes e houve apenas 1 nocaute técnico), o card do UFC Vegas 46 (UFC on ESPN 32) não perdeu seu brilho. Na última e principal luta da noite, Calvin Kattar (23-5-0) venceu por decisão unânime (50–45, 50–45, 50–44) Giga Chikadze (14-3-0) pela divisão dos médios. Ambos travaram uma verdadeira batalha de cinco rounds, o que lhes rendeu o bônus de melhor luta da noite. Para os brasileiros o saldo foi negativo, Rogério Bontorin, Jennifer Maia e Joanderson Brito perderam no card principal.


Calvin Kattar vs. Giga Chikadze

Categoria: Pena

Na última e melhor luta da noite, Calvin Kattar (23-5-0) venceu por decisão unânime (50–45, 50–45, 50–44) Giga Chikadze (14-3-0) pela divisão dos médios.

Kattar e Chikadze travaram um round empolgante, com boa movimentação de ambos. Mesmo quando a luta foi para o chão, ambos tiveram seus momentos na luta, o que tornou bastante dificil a pontuação do round. A trocação franca se manteve também no segundo round e novamente o volume de golpes foi bastante semelhante, mas Kattar cresceu no minuto final, impondo um ritmo mais forte de golpes sobre Chikadze. Kattar manteve sua vantagem também no terceiro round. Mais cansado, Chikadze se tornou um alvo fácil para a trocação de Kattar. Porém, Chikadze se mostrou perigoso até o minuto final. Essa dinâmica se manteve assim pelos dois rounds seguintes, o que garantiu a vitória por decisão unânime de Kattar.


Jake Collier vs. Chase Sherman

Categoria: Pesado

Jake Collier (12-7) precisou de apenas 1 round para derrotar Chase Sherman (15–9). A vitória veio por finalização (mata-leão), após Collier levar a luta para o chão. Pouco antes, em pé, ambos tiveram bons momentos na trocação, mas Collier foi mais contundente.


Brandon Royval vs. Rogério Bontorin

Categoria: Mosca

Em uma luta apertada, de dificil pontuação, Brandon Royval (13-6) venceu Rogério Bontorin (17-4) por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28).


Bontorin se saiu melhor no round, embora tenha sido bastante parelho. Royval mostrou bastante movimentação dentro do octógono, mas não foi tão efetivo como o brasileiro. Após quase ser pego em um triângulo no começo do segundo round, Bontorin passou boa parte do round pressionando Royval no chão. Bontorin continuou melhor no round final, mas dessa vez teve mais trabalho. Em um determinado momento, Royval pareceu próximo de pegar o braço do brasileiro.


Katlyn Chookagian vs. Jennifer Maia

Categoria: Mosca (feminino)


Em uma luta dura de três rounds, Jennifer Maia (19–8-1) saiu derrotada por decisão unânime (30-27 x3), para a norte-americana Katlyn Chookagian (17-4).


O round inicial foi bastante parelho. Ambos passaram a maior parte da luta explorando a trocação. Chookagian mostrou maior volume de golpes, mas em termos contundência Maia se saiu melhor (Chookagian foi para o corner com o olho machucado). O segundo round foi ainda mais apertado que o anterior. Chookagian se saiu ligeiramente melhor ao explorar a curta distância. Mais consistente, Chookagian continuou na frente no round final, impondo novamente um volume de golpes superior ao de Maia, que resistiu duramente a trocação de Chookagian.


Dakota Bush vs. Viacheslav Borshchev

Categoria: Leve


Em uma luta rápida e de virada. Viacheslav Borshchev (6-1) conseguiu um nocaute técnico sobre Dakota Bush (8-4). A luta começou intensa, principalmente por conta de Bush, que a todo momento pressionou Borshchev agressivamente, seja na trocação em pé ou no no chão. Porém, próximo do fim o jogo virou. Borshchev acertou um poderoso golpe no corpo (próximo do figado) de Bush, levando-o ao chão de imediato.


Bill Algeo vs. Joanderson Brito

Categoria: Pena


Pela primeira luta do card principal, Bill Algeo (15-6) venceu pro decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28), o brasileiro Joanderson Brito (12-3-1).


Brito fez um bom primeiro round, impondo seu jogo de chão sobre Algo. Apenas no final do round, quando a luta foi para a trocação que Algeo pode mostrar ligeira superioridade. No começo do round, Brito tentou trocar com Algeo, mas quase levou a pior, sendo golpeado no queixo. Mesmo quando a luta foi para o chão Algo se saiu melhor, mostrando estar mais inteiro que o brasileiro. O terceiro round foi o mais equilibrado, com boa parte da luta se transcorrendo em pé. Com ambos bastante cansados, o brasileiro mostrou um maior volume de golpes, mas a queda obtida no minuto final de Algeo foi decisivo.


Por: Silvio & Flávio Dória