UFC Vegas 30: evento frusta expectativa de boas lutas

Apesar da alta expectativa para as lutas do card principal, que apesar de não reunir nenhum nome de peso da organização trazia bons casamentos de luta, acabou se materializando em um card com lutas fracas em nossa visão (ao contrário do card preliminar é bom que se diga). Pela luta principal do evento, Ciryl Gane (9-0-0) venceu Alexander Volkov (33-9-0) por decisão unânime (50-45. 50-45. 49-46) após cinco pouco empolgantes rounds. Nosso destaque no card principal foi Timur Valiev e Renato Moicano. Em uma luta empolgante, Timur Valiev (18-2-0) venceu o brasileiro Raoni Barcelos (16-2-0) por decisão majoritária (28-28, 29-28, 29-28), mesmo após sofrer dois knock-downs durante a luta. Já Moicano (15-4-1) venceu sem grande dificuldade Jai Herbert (10-3-0) por finalização no final do segundo round, em uma excelente atuação.

Card principal


Ciryl Gane vs. Alexander Volkov

Categoria: Pesado

Em uma luta de cinco pouco empolgantes rounds, Ciryl Gane (9-0-0) venceu Alexander Volkov (33-9-0) por decisão unânime (50-45. 50-45. 49-46).


Incomum para uma luta de pesados, Volkov e Gane trocaram uma série de chutes nas pernas. Em volume de golpes desferidos e contundência, Volkov foi superior. O segundo round foi mais parelho, com uma diferença minima de golpes desferidos por ambos. Porém, o fato de Gane dominar o centro do octógono e tomar a iniciativa na trocação nos faz pesar nossa balança para o lado de Gane no segundo round. No terceiro round, Gane foi melhor em nossa visão. Mais confiante, Gane continuou assumindo iniciativa nos ataques. Além disso, Gane conseguiu acertar boas combinações em Volkov, fazendo-o recuar algumas vezes durante a trocação. Gane pareceu mais cansado no quarto round, abrindo espaço para Volkov crescer no round. Os melhores golpes (mais contundentes) foram de Volkov no round. No quinto e último round, Gane se saiu melhor. O cansaço o fez perder potência nos golpes, mas ainda assim ele mostrou um maior volume de golpes. Em termos de velocidade, Gane também pareceu a frente. Nos minutos finais, Volkov esta desferindo seus golpes em câmera lenta, ao contrário de Gane.

Tanner Boser vs. Ovince Saint Preux

Categoria: Pesado


Por nocaute, Tanner Boser (20–8-1) venceu Ovince Saint Preux (25-16-0) ainda no segundo round. Sua vitória foi polêmica, aparentemente ele usou as mãos para se projetar na grade e sair de uma posição desconfortável no chão. Mais tarde, com outros ângulos de câmeras foi possível ver que ele não chegou a prender a mão na grade de fato.

Boser fez um bom primeiro round. Apesar de uma luta pouco movimentada. Boser foi o responsável por boa parte dos ataques na luta. OSP pareceu estar controlando o gás para os rounds seguintes. No segundo round, Boser conseguiu um nocaute após se livrar do jogo de chão de OSP. Porém, para sair do chão, Boser claramente usou a grade pra se projetar e se elevar, o que gerou bastante polêmica.

Raoni Barcelos vs. Timur Valiev

Categoria: Galo


Em uma luta empolgante, Timur Valiev (18-2-0) venceu o brasileiro Raoni Barcelos (16-2-0) por decisão majoritária (28-28, 29-28, 29-28), mesmo após sofrer dois knock-downs durante a luta. Em entrevista ainda no octógono, Valiev atribui sua resistência aos seus treinos com Frank Edgar.

O round inicial foi bastante parelho, porém vimos uma ligeira vantagem para Valiev por conta do maior volume de golpes (com contundência). Raoni começou o segundo round com sensor de urgência. Mas sua maior movimentação (ele também dominou o centro do octógono) não se traduziu em efetividade nos golpes em boa parte do round. Porém, o brasileiro conseguiu dois knock-downs, virando o resultado do round. No round final, Valiev se saiu melhor em nossa visão, o que é surpreendente dado a forma como ele terminou o segundo round, sofrendo dois poderosos golpes que o levaram ao chão.


Andre Fili vs. Daniel Pineda

Categoria: Pena


Melhor luta do card principal, Andre Fili vs. Daniel Pineda acabou de um jeito inesperado. Um dedo acidental de Fili em Pineda acabou levando o fim da luta. Pineda ficou impossibilitado de enxergar de um dos olhos, como comprovado pelo médico do UFC. Portanto, a luta foi encerrada sem um resultado definido.

Tim Means vs. Nicolas Dalby

Categoria: Meio-Médio


Em uma luta intensa, de três rounds completos, Tim Means (32-12-1) venceu Nicolas Dalby (19-4-1) por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28), completando uma sequência de três vitórias consecutivas.


Dalby começou o round com uma trocação bastante agressiva, mas logo foi derrubado por Means, que passou a controlar a luta em boa parte do tempo. Chamou nossa atenção a respiração profunda de Dalby, sugerindo um cansaço provavelmente por conta de seu inicio mais forte na luta. O segundo round foi mais parelho, porém vimos ligeira vantagem para Dalby, que mesmo mais cansado, ele conseguiu refletir seu volume maior de golpes em contundência. O round final começou intenso como o primeiro, com uma trocação intensa e Dalby levando a melhor. Ao longo do round, o ritmo esfriou, com Means tentando manter Dalby na grade, mas foi Dalby que levou a melhor nos momentos em que houve trocação entre ambos.

Renato Moicano vs. Jai Herbert

Categoria: Leve


Pela primeira luta do card principal, Renato Moicano (15-4-1) venceu sem grande dificuldade Jai Herbert (10-3-0) por finalização no final do segundo round.


Moicano começou o round inicial impondo seu ritmo. Embora ele não tenha sido contundente em golpes, ele foi dominante no round. No segundo round, Moicano manteve sua estratégia de levar a luta para o chão, onde ele de fato é dominante. O brasileiro passou boa parte round no chão, dominando Herbert. Até que no minuto final ele conseguiu a vitória por finalização (estrangulamento).

Por Silvio e Flavio Doria