UFC Vegas 26: Marina supera mais um desafio no UFC

Apesar do desfalque de última hora da luta entre os dois ex-campeões da divisão dos galos, T.J. Dillashaw e Cory Sandhagen, a nova luta principal do card foi uma substituição à altura. Marina Rodriguez e Michelle Waterson travaram uma verdadeira batalha de cinco rounds, onde apesar de bons momentos para ambos os lados, o grande destaque foi a brasileira. Marina entrou na luta determinada a derrotar a experiente Waterson. A performance da brasileira foi tão contundente que na transmissão oficial, o comentarista e ex-atleta do UFC, Daniel Cormier, chegou a compara-la com Joanna Jedrzejczyk em seu auge. Ao final, Marina Rodriguez (14-1-2) venceu Michelle Waterson (18–9-0) por decisão unânime (48-47, 49-46, 49-46). Na segunda principal luta da noite, em apenas um round, Morono venceu Cerrone por TKO em sua maior vitória na carreira. Foi uma vitória dominante, pouco a pouco Morono foi ampliando sua vantagem até conseguir o nocaute técnico após uma sequência de golpes contundentes.


Marina Rodriguez vs. Michelle Waterson

Categoria: Mosca (feminino)

Marina Rodriguez vence Michelle Waterson por decisão unânime (48-47, 49-46, 49-46)
Marina Rodriguez vence Michelle Waterson por decisão unânime (48-47, 49-46, 49-46)

Na melhor luta da noite, Marina Rodriguez (14-1-2) venceu Michelle Waterson (18–9-0) por decisão unânime (48-47, 49-46, 49-46).

Marina fez um excelente primeiro round, mostrando uma trocação veloz e contundente ao mesmo tempo. Novamente, no round seguinte, Marina se saiu melhor por conta da sua boa trocação. Assim como no round anterior, Marina se manteve bastante calma, sem gastar muita energia e atacando de forma bastante calculada. Na transmissão oficial, Daniel Cormier à comparou com Joanna Jedrzejczyk em seu auge. Waterson foi bastante castigada pela contundência dos golpes de Marina no terceiro round! No round seguinte, pela primeira vez na luta, Waterson se saiu melhor. Marina foi derrubada e Waterson impôs um eficiente ground-and-pound sobre a brasileira. No final do round, Marina foi guerreira. Ela sofreu duros chutes de Waterson. Um deles a feriu na mandíbula, provocando um grande inchaço. Mesmo assim a brasileira manteve a calma e o controle da luta.


Alex Morono vs. Donald Cerrone

Categoria: Meio-médio


Em uma luta rápida, de apenas um round, Morono venceu Cerrone por TKO no final do round em sua maior vitória na carreira. Foi uma vitória dominante, pouco a pouco Morono foi ampliando sua vantagem até conseguir o nocaute técnico após uma sequência de golpes contundentes.


Neil Magny vs. Geoff Neal

Categoria: Meio-médio

Em uma decisão por pontos (29-28, 29-28, 30-27), Neil Magny (25–8-0) venceu Geoff Neal (13-4-0) sem grandes surpresas. Magny fez um bom trabalho no primeiro round, com um maior volume de golpes desferidos e maior controle na luta no clinch. Embora Magny tenha se saído melhor no segundo round, assim como no anterior, foi um round mais parelho em nossa visão. Golpe a golpe, Magny foi somando pontos no round final, garantindo mais um round a seu favor, embora não tenha sido tão dominante. Foi um round sem riscos para Magny.


Maurice Greene vs. Marcos Rogério de Lima

Categoria: Peso-Pesado


Sem grande dificuldade, Marcos Rogério de Lima, o Pezão (18–8-1) venceu Maurice Greene (9-7-0) por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-27).

Pezão, fez um excelente primeiro round. A luta começou com uma trocação intensa entre os dois, mais aos poucos, Pezão foi se destacando, tanto no volume de golpes, como no domínio no chão. Foi um baita primeiro round para o brasileiro. Pezão manteve seu domínio no segundo round, com um ground-and-pound sem risco algum. Greene pouco atacou o brasileiro no round. No final do segundo round, Greene chegou a colocar a mão na região do rosto do brasileiro, o que o irritou. Após soar o gongo, Pezão chegou a desferir um soco em Greene que rabateu com um elogio à sua mãe. Antes do inicio do round, Herb Dean chegou a advertir ambos. O round final foi quase um replay do anterior. Pezão conseguiu derrubar facilmente Greene, se aproveitando da sua longa altura (lutadores muito altos geralmente são mais fáceis de serem derrubados). No chão, Pezão foi amplamente dominante por todo o round.


Diego Ferreira vs. Gregor Gillespie

Categoria: Leve

Gregor Gillespie vence Diego Ferreira por nocaute técnico no 2R
Gregor Gillespie vence Diego Ferreira por nocaute técnico no 2R

Em uma luta empolgante, e de virada, Gregor Gillespie (14-1-0) venceu Diego Ferreira (17-4-0) por nocaute técnico no segundo round, após sair de um round totalmente dominado pelo brasileiro.


Ferreira tentou evitar a todo custo as quedas de Gillespie no round inicial, fazendo um bom trabalho nesse sentido. Na trocação, o brasileiro também foi muito bem. Mesmo quando a luta foi para o chão, Ferreira foi superior. Gillespie foi mais ativo no segundo round. Não só conseguiu derrubar Ferreira no início do round, mas também o domínio em boa parte do round no chão, sempre buscando seja golpes contundentes ou finalização. Ferreira foi um coadjuvante no segundo round. Até que no minuto final, e tanto insistir Gillespie conseguiu a vitória por nocaute técnico.


Phil Hawes vs. Kyle Daukaus

Categoria: Medios

Phil Hawes vence Kyle Daukaus por decisão unânime (30-26, 30-26, 29-27)
Phil Hawes vence Kyle Daukaus por decisão unânime (30-26, 30-26, 29-27)

Pela primeira luta do card principal, Phil Hawes venceu Kyle Daukaus em uma luta por pontos.


Daukaus começou bem o round inicial. Em pé, Daukaus foi melhor na trocação, buscando mais ativamente o combate. Quando foi derrubado, Daukaus conseguiu cair em uma boa posição, abrindo espaço para uma guilhotina mas sem sucesso. Porém, Daukaus começou melhor o segundo round, mas do meio para o final, Hawes começou a dominar a luta, não só em termos de volume de golpes, mas também contundência. Daukaus pareceu sentir mais a mão de Hawes. Ele foi ainda mais contundente no round final, impondo uma série de golpes contundentes quando esteve por cima de Daukaus no chão. Daukaus foi bastante castigado. Ao final, os árbitros deram vitória para Hawes por decisão unânime (30-26, 30-26, 29-27).

Por Silvio e Flavio Doria