UFC Shenzhen: Weili Zhang faz história no UFC

O UFC Fight Night 157 (ou UFC on ESPN+ 15) em Shenzhen, China, certamente entrará pela história. O card em sí apresentou boas lutas, mas nenhum grande destaque, com exceção das duas principais lutas. Na luta da noite, pelo cinturão da divisão palha (feminino), Weili Zhang fez história ao derrotar por nocaute técnico a atual campeã, a brasileira Jéssica "Bate Estaca". Não foi uma vitória qualquer, mas uma vitória de forma contundente. Um atropelo de pouco menos de 1 minuto sobre uma das lutadoras mais promissoras da divisão. Para o UFC o feito foi ainda maior. Com Zhang assumindo o cinturão, as portas do continente asiático podem se abrir de vez ao evento. Até então organizações como o ONE FC e o Rizin concentravam as atenções do público asiático.


Na segunda luta da noite, Li Jingliang, sem dúvida a maior estrela do UFC na China, venceu mais um duro oponente, o brasileiro Elizeu "Capoeira". Com a vitória Li passa agora a almejar lutas ainda mais importantes e coloca seu nome como um dos principais nomes da divisão dos meio-médios.


Card principal


Jéssica Andrade "Bate Estaca" vs. Weili Zhang

Categoria: Palha (Feminino)


Na principal luta da noite, Weili Zhang (20-1-0) fez história ao nocautear a atual campeã da divisão palha do feminino, Jéssica Andrade "Bate Estaca" (20-7-0). A luta não durou nem sequer 1 minuto. Jéssica Andrade tentou entrar em uma trocação franca com a chinesa e se deu mal, sendo nocauteado após uma sequência de golpes contundentes.

Com a vitória, Zhang fez história ao se consagrar como a primeira chinesa a deter um cinturão do UFC, um feito que pode fortalecer ainda mais a marca da organização no continente asiático, até então dominado pelo ONE FC. Zhang só tem uma derrota na carreira, na sua estreia no MMA, em 2013. Desde então, acumula 19 vitórias seguidas, o que chamou a atenção do UFC e a colocou como primeira da fila para disputar o cinturão até 52kg.


Essa foi a primeira defesa de cinturão de Andrade. A paranaense conquistou o título após nocautear a então campeã Rose Namajunas no UFC 237, em maio no Rio de Janeiro. Assim como em sua última luta – onde lutou como desafiante, mas dentro de casa – ela agora retribui o favor e vai até o país de sua oponente, a chinesa Weili Zhang.


Elizeu Zaleski dos Santos vs. Li Jingliang

Categoria: Meio-Médio


Em uma luta bastante aguarda, Li Jingliang (17-5-0), o principal nome do UFC hoje na China, venceu Elizeu "Capoeira" Zaleski (21-6-0), um adversário de peso na divisão dos meio-médios, invicto há sete lutas.


Li Jingliang foi superior no primeiro round, aplicando bons golpes no brasileiro, alguns inclusive levaram Capoeira ao chão. O segundo round não foi diferente. Mesmo mais agressivo no round, Capoeira não conseguiu se encontrar no round. No round final, Li Jingliang, sabendo da ampla vantagem, não se expôs muito. Ao mesmo tempo, o brasileiro não conseguiu causar perigo para o chinês em nenhum momento do round. APenas no final do round, Jingliang foi mais contundente na trocação, levando o brasileiro a nocaute.

Li Jingliang vive um bom momento no UFC. Ele venceu sete das suas últimas oito lutas, com quatro bônus de performance conquistados nos últimos dois anos. Em sua última luta, nocauteou David Zawada, em novembro.


Já Capoeira estava invicto há sete lutas, o paranaense não sabia o que era perder desde a sua estreia no UFC, em 2015. Na ocasião, foi derrotado por decisão dividida para Nicolas Dalby.


Kai Kara-France vs. Mark De La Rosa

Categoria: Mosca


Em uma luta empolgante, Kai Kara-France (20-7-0) venceu Mark De La Rosa (11-3-0) por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28). Kai Kara-France saiu na frente no primeiro round, com maior volume de golpes, inclusive golpes contundentes. Kai Kara-France também foi superior no segundo round, conseguindo um belo knock-down ainda nos minutos iniciais do round. De La Rosa, por outro lado, não se intimidou e continuou agressivo no round, inclusive chegando a provocar um corte no olho de Kai Kara. No intervalo do segundo para o terceiro round, os corners de De La Rosa pediram ao atleta mais agressividade na trocação. "Morda seu protetor bucal e parta para cima" disse um dos corners. E de fato o americano tentou mais a trocação, mas sem sucesso. Na decisão dos árbitros, a vitória foi dada a Kai Kara-France, sem grande surpresa.


Derrick Krantz vs. Kenan Song

Categoria: Meio-Médio


Em outra luta com um atleta local, Kenan Song (15-5-0) venceu o norte-americano Derrick Krantz (24-12-0) por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28). Primeiro round bastante parelho, porém com ligeira vantagem para Derrick Krantz. No segundo round, Kenan Song foi melhor. O atleta chinês chegou a mostrar perigo na luta com duas boas tentativas de finalização. Em uma delas, Song pegou Krantz em uma guilhotina em pé, mas após ser atirado ao chão acabou caindo em uma posição ruim e perdeu a posição. Sabendo que o round final seria decisivo, Song iniciou o round já partindo para cima, na trocação, o que provocou um corte profundo no rosto de Krantz. O americano estava visivelmente mais cansado, o que acabou facilitando para Song, que não foi ameaçado.


Wu Yanan vs. Mizuki Inoue

Categoria: Peso Combinado (feminino)


Na primeira luta do card principal, Mizuki Inoue (13-5-0) venceu a atleta da casa, Wu Yanan (10-2-0) por decisão dividida (28-29, 29-28, 29-28). Foi uma boa vitória, considerando que Inoue aceitou a luta de última hora. Além disso, Yanan não bateu o peso da categoria (mosca) e entrou mais pesada para o duelo.


Apesar do menor tamanho e envergadura, é Mizuki Inoue que ditou o ritmo da luta no primeiro round, sempre partindo para cima, sem dar muito espaço para a chinesa. O ritmo de Inoue continuou o mesmo no segundo round. Sempre partindo para cima, mesmo levando alguns golpes. Nos minutos iniciais do round a japonesa chegou a ser pega em uma tentativa de finalização, mas logo se recuperou O round final foi mais parelho, a chinesa foi mais reativa, devolvendo os golpes que recebia, postura que ela não teve nos dois rounds iniciais. Ainda sim, vimos ligeira vantagem para Inoue.


Card Preliminar


O card preliminar do UFC Shenzhen começou com duelo entre duas brasileiras, Karoline Rosa Cavedo e Lara Fritzen Procópio, ambas estreando na organização, pela divisão galo do feminino. Depois de três rounds, Karoline saiu com o braço erguido, ao vencer Procópio por decisão dividida (28-29, 30-27, 29-28). Apesar do baixo nível técnico, foi uma luta bastante empolgante, onde ambas entregaram tudo de si e proporcionaram bons minutos de trocação franca. Foram 336 golpes desferidos ao longo dos três rounds. Outro representante do Brasil no card preliminar foi Thiago Moisés, que saiu derrota por Damir Ismagulov por decisão unânime (30-26, 30-27, 30-27) na divisão dos leves.


Por Silvio & Flávio Dória

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.