UFC São Paulo: Card Preliminar rouba a cena

Em sua oitava passagem por São Paulo, o UFC, como de costume, não decepcionou. Apesar da grande numero de desistência de lutadores (por motivos variados), a organização conseguiu casar bons combates. O card preliminar merece o primeiro comentário por ter apresentado as melhores lutas do evento. O destaque foi a segunda luta da noite, entre Ariane Lipski e Isabella de Padua.


Originalmente Lipski estava escalada para enfrentar Priscila Cachoeira, que teve que se retirar do evento após ser flagrada em exame antidoping. Em seu lugar entrou Veronica Macedo, que também teve que abandonar o card por conta de uma lesão nos treinos. Então de última hora Isabella foi chamada. Porém, Isabella mostrou grande desenvoltura na luta e quase chegou a ganhar no momento de maior tensão. Após pegar Lipski em uma finalização, nos últimos segundos do segundo round, Lipski chegou a bater, porém o árbitro não viu e a luta seguiu normalmente. No round final, a torcida que estava toda a favor de Lipski passou a apoiar Isabella, também reconhecendo seu esforço na luta. Ao final, Lipski venceu por decisão unânime.


Na última luta do evento, agora no card principal, Jan Błachowicz (25-8-0) venceu sem grande dificuldade um pouco combativo Ronaldo Souza (26-8-0) por decisão dividida (47,48, 48-47, 48-47). Contra todas as expectativas, essa foi a pior luta da noite, mas também nada que pudesse tirar o brilho do evento. Uma luta antes, pela segunda principal luta da noite, houve um resultado polêmico. Após três rounds completos, Mauricio Shogun saiu com um empate (29-28, 28-29, 28-28) ao enfrentar Paul Craig pelos pesados.


Card principal


Jan Błachowicz vs. Ronaldo Souza

Categoria: Meio-Pesado

Jan Błachowicz (25-8-0) vence Ronaldo Souza (26-8-0) por decisão dividida (47,48, 48-47, 48-47)

Em uma luta fraca, com pouca ação, Jan Błachowicz (25-8-0) sem grande dificuldade um pouco combativo Ronaldo Souza (26-8-0) por decisão dividida (47,48, 48-47, 48-47). Błachowicz fez um primeiro round sob controle. Conseguiu pontuar mais, com o maior número de golpes e não esteve em perigo em nenhum momento do round. Jacaré por outro lado, não conseguiu se efetivo nos golpes e pouco fez na grade. No segundo round, Jacaré continuou muito pouco efetivo, pressionando Błachowicz. O polonês continuou na frente, aplicando um maior volume de golpes, inclusive golpes significativos. Não houve mudança no terceiro round, Jacaré continuou pouco combativo no round, com Błachowicz ligeiramente melhor pela maior assertividade nos golpes. A luta parece estar esfriando a medida que os rounds passam e a torcida ficando cada vez mais impaciente. Em um momento de descontração, e de clara insatisfação com o ritmo do combate, grande parte do público presente ligou a lanterna de seus respectivos celulares, fazendo um efeito vaga-lume no Ginásio. O quarto round foi ainda mais entediante. No round final, Błachowicz continuou superior na luta, fazendo pouco, encerrando assim a luta mais fraca do UFC São Paulo.


Em entrevista ainda no octógono, Błachowicz pediu um adversário de peso. “Eu venci a luta. O Jacaré é um oponente muito duro, mas o que importa é que venci. Se o Jon Jones quiser, eu estou pronto para lutar pelo cinturão com ele” disse o polonês. Enquanto que Jacaré tentou justificar sua atuação apagada: “Lutas apertadas são assim, faz parte. Eu sofri com lesões no último mês que quase me tiraram dessa luta. Peço desculpas aos fãs, mas agradeço pela oportunidade de estar aqui.”


Maurício Rua vs. Paul Craig

Categoria: Meio-Pesado

Sem vencedor, Mauricio Shogun e Paul Craig empatam (29-28, 28-29, 28-28)

A segunda principal luta da noite teve um resultado polêmico. Após três rounds completos, dois deles de domínio de Shogun na nossa contagem, os árbitros viram um empate (29-28, 28-29, 28-28). Portanto, ambos lutadores tiveram seus braços erguidos ao final da luta.


O primeiro round foi insano! Craig impôs a Shogun uma sequência brutal de golpes. Aparentemente Shogun os absorveu muito bem e não demonstrou tê-los sentido! Ambos foram para seus respectivos corners exaustos. Se o primeiro round foi de Craig, o segundo foi todo de Shogun. Após derrubar Craig no início do round, Shogun deu início a uma sequência de golpes contundentes que quase culminaram no fim da luta. Essa foi a tônica do segundo round: Shogun por cima, pressionando e golpeando Craig. No round final, apesar do maior volume de golpes de Craig, foi Shogun quem manteve a luta sob controle, dominando em todo momento em que esteve no chão. Nos segundos finais quando a luta foi para a trocação, Shogun também levou a melhor, garantindo o round a seu favor.


Shogun não gostou do resultado. “Foi nítido que ele venceu o primeiro round e eu venci os outros dois. Achei totalmente injusto” disse o brasileiro após a luta. Já Craig pareceu ter saído satisfeito com o resultado: “Eu vim para o Brazil e saí com um empate contra uma lenda brasileira. Eu apenas gostaria de ter feito mais, eu deveria ter feito melhor.”


Charles Oliveira vs. Jared Gordon

Categoria: Leve

Charles Oliveira vence por nocaute Jared Gordon

Em uma luta relâmpago, Charles Oliveira (28-8-0) venceu por nocaute Jared Gordon (15-4-0) ainda no primeiro round! Gordon decidiu trocar com o brasileiro no início do round e foi acertado por um poderoso contra-golpe seguido de um uppercut que levou Gordon a nocaute imediato. Em entrevista ainda no octógono, Charles, empolgado com sua performance, pediu um adversário de peso, Conor McGregor!


Antonio Arroyo vs. Andre Muniz

Categoria: Médios

Andre Muniz vence Antonio Arroyo por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)

Em uma luta de três rounds completos, Andre Muniz (19-4-0) derrotou Antonio Arroyo (9-3-0) por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27). Arroyo começou a luta em um ritmo acelerado, com um poderoso chute no corpo de Muniz, para na sequência derrubá-lo. Porém, Muniz pegou o braço de Arroyo em uma tentativa de finalização que por muito pouco não teve sucesso. Ao contrário do round anterior, Muniz dessa vez foi superior. No chão, Muniz quase conseguiu uma finalização por estrangulamento, mas sem sucesso. Quando não esteve buscando uma finalização, Muniz também foi mais contundente nos golpes desferidos no chão. No round final, Muniz continuou explorando o jogo de chão, onde esteve em vantagem no round anterior. Em certo momento da luta, Arroyo não queria mais a luta no chão a ponto de os dois ficarem ambos sem se atacarem. Não à toa, foi a luta mais vaiada pela torcida presente.


Markus Perez vs. Wellington Turman

Categoria: Médio

Wellington Turman vence Markus Perez por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27)

Em uma luta bastante disputada, Markus Perez (12-3-0), o "Coringa", foi derrotado por Wellington Turman (16-3-0) por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27). Primeiro round bastante parelho, mas com uma ligeira vantagem para Perez, com maior volume de golpes significativos. Turman também vem mostrando mais versatilidade, com chutes e socos rodados. No segundo round, Turman foi mais combativo, procurando mais a trocação. Turman, por outro lado, passou boa parte do round em modo de defesa. O round final foi ainda mais apertado, porém novamente vimos uma ligeira vantagem para Turman, que conseguiu mostrar maior volume de golpes.


Card Preliminar


Sérgio Moraes vs. James Krause

Categoria: Meio-Médio


Em uma luta pouco fraca, Sérgio Moraes (14-6-1) foi nocauteado por James Krause (27-7-0) no terceiro round. O primeiro round foi bastante parelho. Serginho começou bem o round, derrubando Krause mas após isso praticamente não houve mais luta. No segundo round, ambos continuaram pouco ativos. Nos poucos momentos de trocação, Serginho levou a pior, levando inclusive um knock-down. No terceiro round, Serginho claramente estava mais cansado e sentindo os golpes de Krause, que dominou o round. Serginho claramente não queria o confronto em pé. Seu desejo foi realizado e no final do round foi facilmente nocauteado.


Ricardo Ramos vs. Luiz Eduardo Garagorri

Categoria: Pena


Em uma luta rápida, Ricardo Ramos (14-2-0) finalizou o até então invicto, Luiz Eduardo Garagorri (13-1-0) ainda no primeiro round. A luta estava bem parelha, com uma ligeira vantagem para o brasileiro, que ao derrubar Garagorri, conseguiu pegar suas costas e o finalizá-lo.


Francisco Trinaldo vs. Bobby Green

Categoria: Leve


Em uma luta empolgante, Francisco Trinaldo (24-7-0) venceu Bobby Green (24-10-1) por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28). Depois de um bom inicio de round, Massaranduba passou boa parte do round no chão sendo pressionado por Green, superior no volume de golpes e também golpes significativos. O segundo round foi bastante parelho, mas com uma ligeira vantagem para Massaranduba, mais ativo durante o round, enquanto que Green mostrou que está em dia com a esquiva. No round final, apesar do menor volume de golpes desferidos, Massaranduba foi melhor na nossa visão, sendo responsável pelos melhores momentos do round.


Warlley Alves vs. Randy Brown

Categoria: Meio-Médio


Em uma luta de apenas dois round, Randy Brown (12-3-0) finalizou Warlley Alves (13-4-0) em um estrangulamento. Uma pena pois Warlley foi melhor no primeiro round. Warlley começou ditando o ritmo da luta. Após uma defesa de chute, Warlley derrubou Brown e permaneceu com ele no chão por boa parte do round. Warlley quase chegou a finalizar o jamaicano com um bem apertado estrangulamento, mas sem sucesso. No segundo round, após ser derrubado depois de quase 1 minuto de trocação, Warlley acabou sendo pego em uma finalização.


Douglas Silva de Andrade vs. Renan Barão

Categoria: Pena


Em busca de redenção na organização, Renan Barão (34-9-1), que vinha de 4 derrotas consecutivas, enfrentou o compatriota Douglas Silva de Andrade (26-3-1). Porém dessa vez a história não foi diferente para o ex-campeão dos galos. Barão foi derrotado por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-26) após ser batido round a round por Douglas.


Ariane Lipski vs. Isabela de Padua

Categoria: Peso Combinado


Em uma luta dominante e polêmica, Ariane Lipski (12-5-0) venceu Isabela de Padua (5-2-0) por decisão unânime (30-26, 30-26, 29-27). A princípio a torcida estava toda a favor de Lipski. Porém no final do segundo round, após ela quase ser finalizada (ela chegou a bater, porém o árbitro não percebeu) a torcida mudou de lado.


Lipski começou o round de forma avassaladora! Ela deu início a uma trocação franca que culminou com um knock-down de Isabela. Na sequência, com a luta no chão Lipski continuou dominando-a, mas com pouca efetividade. No final do round, foi a vez de Isabela dominar no chão, mas não o suficiente para virar o resultado do round. Novamente, Lipski iniciou o round bem na trocação a ponto de derrubar Isabela. No chão, Lipski conseguiu se sair melhor que no round anterior, mostrando maior controle do peso sobre Isabela. Justiça se faça, Isabela permaneceu combativa mesmo por baixo, a todo o momento. No final do round, Isabela teve um ponto descontado por conta de um chute ilegal (chute no rosto de Lipski enquanto ela estava no chão, algo proibido no UFC). E faltando segundos para o fim do round, Isabela encaixou uma finalização por chave de braço em Lipski que quase levou ao fim da luta. Lipski chegou a bater mas o árbitro não notou! No início do terceiro round, Lipski tentou um chute alto sem sucesso e foi derrubada por Isabela. A partir daí, todo restante do round se transcorreu no chão, com hora Lipski por cima, hora Isabela.


Vanessa Melo vs. Tracy Cortez

Categoria: Mosca


Na primeira luta do evento, Tracy Cortez (7-1-0) venceu a brasileira Vanessa Melo (10-7-0) em uma luta de três bons rounds. No final, em entrevista no octógono, Tracy se emocionou e arrancou aplausos da torcida. A luta foi bem parelha no primeiro round. Além do maior volume de golpes, Tracy conseguiu acertar mais golpes contundentes. Porém é a brasileira que domina o centro do octógono e o ritmo da luta. Tracey passou boa parte do round pressionando Vanessa na grande, tentando conseguir alguma brecha para atacar, mas com pouco sucesso. Anulada no round, Vanessa foi para o corner com mais uma pontuação atrás da americana. Vanessa entrou no round final sabendo que estava para trás no score e mostrou vontade. A brasileira acertou bons golpes na trocação em pé. Porém, depois de 1 minuto de trocação, Tracy levou a luta para o chão onde foi superior.


Por Silvio Dória e Flávio Dória

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.