UFC Greenville: Zumbi Coreano atropela Moicano; e mais, KO de 9s nos Pesados

O fã de MMA teve um dia cheio neste sábado, 22. Paralelamente ao UFC Greenville, na Carolina do Sul, Estados Unidos, do outro lado do atlântico ocorria o Bellator 223, evento em que Gegard Mousasi perdeu o cinturão dos médios para Rafael Lovato Jr em uma luta bastante equilibrado. Poucas horas depois, nos Estados Unidos ocorria o Bare Knuckle FC 6, evento em que Artem Lobov venceu por pontos Paulie Malignaggi em uma luta bastante aguardada.


O UFC Greenville por sua vez não deixou a desejar. Apesar do card relativamente fraco, a luta principal fez valer a pena. Chan Sung Jung, o zumbi coreano, venceu de forma contundente Renato Moicano ainda no primeiro round. Ainda no card principal, Andrea Lee, pela divisão mosca feminino, também conseguiu uma boa vitória sobre Montana De La Rosa, firmando-se como um dos principais nomes de sua categoria. No card preliminar o destaque foi para a vitória relâmpago de Jairzinho Rozenstruik, que nocauteou Allen Crowder em apenas 9 segundos! Esse foi o segundo nocaute mais rápido da divisão dos pesados na história da organização.


Quanto aos brasileiros, todos os três nomes (Moica, Lipski e Anderson) perderam.


Card Principal


Renato Moicano vs. Chan Sung Jung "Zumbi Coreano"

Categoria: Pena

Chan Sung Jung, o "Zumbi Coreano" vence por nocaute técnico Renato Moicano no 1R

Em uma luta relâmpago, Chan Sung Jung venceu por nocaute técnico o brasileiro Renato Moicano. O zumbi coreano como ele é chamado acertou um poderoso cruzado em Moicano, levando-o ao chão de imediato. Moicano até resistiu uma sequência de golpes contundentes no chão, mas o arbitro encerrou a luta.


Bryan Barberena vs. Randy Brown

Categoria: Meio-Médio

Randy Brown vence por nocaute técnico Bryan Barberena no 3R

Em mais uma luta de três rounds, Randy Brown (11-3-0), venceu por nocaute técnico Bryan Barberena (14-7-0) no terceiro round. Brown já estava melhor na luta, acertando uma série de golpes contundentes em Barberena. Porém, uma joelhada no figado no terceiro round foi o inicio do fim para Barberena.


Andre Ewell vs. Anderson Dos Santos

Categoria: Galo

Andre Ewell vence por decisão unânime Anderson Dos Santos

Em outra luta bastante empolgante, Andre Ewell (15-5-0) venceu o brasileiro Anderson Dos Santos (20-8-0) por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-27). Ewell levou a melhor no primeiro round. Apesar de bastante parelha a luta, com uma trocação franca, Ewell acertou mais golpes limpos no brasileiro. O segundo round continuou bastante apertado e com vantagem para Ewell, que se beneficiou da maior agilidade e invergadura. No round final, o brasileiro continuou atrás, sofrendo um atraso na trocação. A luta virou a seu favor quando ele levou para o solo, onde se manteve bem por pouco mais de um minuto. Impressionou o espirito combativo do brasileiro.


Andrea Lee vs. Montana De La Rosa

Categoria: Mosca (feminino)

Andrea Lee vence por decisão unânime Montana De La Rosa

Em uma luta empolgante, Andrea Lee (11-2-0) venceu Montana De La Rosa (10-4-0) por pontos. O primeiro round foi bastante apertado. Vimos ligeira vantagem para Lee. Depois de levar a pior na trocação com Lee, Montana tentou leva-la ao chão, sem sucesso. No segundo round, Lee ampliou sua vantagem, desenvolvendo bem seu jogo em pé. Montana em vários momentos derrubar Lee, sempre sem sucesso. Montana foi para o corner após o round visivelmente cansada e com um nariz aparentemente quebrado. No round final, apesar de Montana ter conseguido levar a luta para o chão, ela não conseguiu desenvolver seu jogo. Lee, se defendeu bem das tentativas de finalização, reverteu posições e se mostrou ativa por baixo. Ao final, os arbitros deram vitória para Lee por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28).


Kevin Holland vs. Alessio Di Chirico

Categoria: Médios

Kevin Holland vence por decisão unânime Alessio Di Chirico

Na primeira luta do card principal, Kevin Holland (15-4-0) venceu Alessio Di Chirico (12-3-0)

em uma longa luta de três rounds. Todos os rounds foram bastante parelhos e que em certos momentos chegou a incomodar a torcida que vaiou em alguns momentos. No segundo round, Holland chegou a acusar uma lesão no ombro, mas resistiu até o final da luta. Ao final, os arbitros viram vitória de Holland por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28)


Card Preliminar


Na primeira luta da noite, Deron Winn (6-0-0) venceu com ampla margem, Eric Spicely (12-5-0). Justiça seja feita, Spicely pegou a luta sem preparo, de última hora. Spicely não conseguiu se encontrar no primeiro round. Winn acertou-o com poderosos golpes na linha de cintura. Spicely não conseguiu se aproveitar de sua grande envergadura. No intervalo do primeiro round, no corner, a instrução para Winn foi: atacar a linha de cintura para abrir espaço para golpes na cabeça. Spicely no segundo round foi um alvo fácil. Mais cansado, ele quase não se defendia dos golpes sofridos, e toda vez que levantava a guarda abria espaço para uma série de golpes na linha de cintura. Winn foi superior também no terceiro round, no entanto, em poucos momentos Spicely chegou a acerta-lo com bons golpes, que inclusive provocaram um corte no rosto de Winn.


Na primeira luta de brasileiros na noite, Molly McCann (9-2-0) venceu a promessa brasileira Ariane Lipski (11-5-0) por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27). McCann saiu em vantagem do primeiro round. Não só ela apresentou um maior volume de golpes, como também conectou bons golpes na brasileira. Nos últimos segundos ainda conseguiu uma boa queda. No intervalo, McCann se mostrou bastante confiante, conversando com seu corner em pé e mostrando bastante energia. McCann continuou melhor no segundo round, se movimentou e atacou mais. No final do round, mais uma vez, a inglesa derrubou a brasileira e terminou montada por cima atacando. Lipski não conseguiu se encontrar no terceiro round. Seu melhor momento no round foi um chute alto que levou um corte profundo em McCann, mas nada que tirasse a confiança da inglesa que continuou mais agressiva na luta.


Jairzinho Rozenstruik (8-0-0) só precisou de 9 segundos para nocautear Allen Crowder (10-4-0). Jairzinho acertou um jab no queixo de Crowder que caiu ainda consciente. Jairzinho ainda em pé acertou um soco em cheio no rosto de Crowder que ainda estava no chão, nocauteando-o. Esse foi o segundo nocaute mais rápido da história do UFC.


Luis Peña (7-1-0) de forma contundente Matt Wiman (16-8-0) por nocaute técnico. Peña fez um excelente primeiro round. Wiman sofreu um corte profundo no rosto logo no inicio da luta por conta de uma joelhada. No transcorrer do round, Peña foi (muito) superior em pé e no chão. No segundo round, Peña continuou sob total controle da luta. Wiman entrou para o terceiro round bastante cansado. Em um momento ele chegou a tropeçar no próprio pé, caindo no chão. Peña aproveitou o momento e partiu pra cima impondo uma sequência de golpes contundentes que levaram ao fim a luta.


Um fato curioso a respeito de Matt Wiman e lembrado pela ESPN. Em sua última luta, em 2014, o UFC estava completamente diferente. Eram campeões de suas respectivas categorias: Demetrious Johnson (mosca), T.J. Dillashaw (galo), Jose Aldo (pena), Anthony Pettis (leve), Chris Weidman (médios), Johnny Hendricks (meio-médio), Jon Jones (meio-pesado), Fabricio Werdum (pesado) e Ronda Rousey (galo-feminino)! Faz tempo ein Wiman?

Ashley Yoder (7-4-0) venceu Syuri Kondo (6-3-0) por decisão unânime. Kondo em momento nenhum representou uma ameaça para Yoder, que dominou a japonesa tanto na luta em pé como no chão, onde há luta esteve a maior parte do tempo. O resultado da luta não trouxe surpresa nenhuma. Yoder saiu vitoriosa por decisão unânime (30-26, 30-25, 30-24) dos arbitros.


Em uma luta apertada, Dan Ige (12-2-0) venceu Kevin Aguilar (17-2-0) por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-27). Ige pos fim a uma sequência de 9 vitórias consecutivas de Aguillar. Ige sai do primeiro round na frente. A luta começou bem parelho, porém do meio para o final do round, Ige foi superior, conseguindo inclusive um knock-down. Aguilar se saiu melhor no segundo round, empatando o combate. Ige foi superior no round final, desferindo mais golpes contundentes por todo o round e desempatando a luta.


Silvio Doria

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.