UFC Fight Night 209: Gane atropela Tuivasa

A França recebeu no dia de hoje, 3 de Setembro, seu primeiro evento oficial do UFC. Após ser banido do país em 2016, o MMA voltou ser legalizado em 2020 e desde então cogitava-se a entrada do UFC no país, adiada por conta da pandemia. Porém, a escolha do card pela organização não parece ter sido das mais felizes, digna de uma estreia em Paris. Excluindo a luta principal, entre Ciryl Gane e Tai Tuivasa, diga-se de passagem uma luta fantastica, vimos em sua maioria lutas fracas e lutadores de pouca expressão.


Card Principal


Ciryl Gane (KO; 3R) vs. Tai Tuivasa

Categoria: Pesado (até 120,2 kg / 265 lb)

Fazendo a principal luta do UFC Paris, Ciryl Gane (11-1) venceu de forma contundente Tai Tuivasa (14-4). A vitória veio no terceiro round, após Gane voltar de um round em que havia sido severamente atingido por um dos pesados socos de Tuivasa.


Gane e Tuivasa fizeram um primeiro round bastante estudado. Gane se saiu ligeiramente melhor em nossa visão, conseguindo conectar alguns bons golpes em Tuivasa, sobretudo alguns chutes. Por outro lado, Tuivasa dominou o centro do octógono, sempre indo para frente. Tuivasa estava atras em boa parte do round, até que ele conseguiu acertar um poderoso direto em Gane, levando-o a knock-down. Gane conseguiu se recuperar no terceiro round e impôs duros golpes no corpo de Tuivasa. Perto do fim do round, Tuivasa não resistiu aos duros golpes e foi a nocaute.


Robert Whittaker (decisão unânime; 30-27, 30-27, 29-28) vs. Marvin Vettori

Categoria: Médios (até 83,9 kg / 185 lb)


Pelo co-main event, Robert Whittaker (25-6) venceu sem dificuldade o duro Marvin Vettori (18-6-1) por pontos.


Whittaker e Vettori fizeram um round inicial bastante apertado. Vettori acabou se arriscando mais o que pode ter lhe garantido o round em nossa visão, mas ambos mostram pouco contundência nos golpes. Whittaker cresceu no segundo round, minando Vettori com chutes altos poderosos. Menos combativo, Vetor pareceu sentir mais o cansaço no round. Whittaker ampliou sua vantagem sobre Vettori no round final. Vettori praticamente não conseguiu atingir Whittaker no round. O neozelandês por outro lado foi bastante efetivo na trocação, acertando quase todos os golpes em cheio no italiano.


Nassourdine Imavov (decisão unânime; 29-28, 29-28, 30-27) vs. Joaquin Buckley

Categoria: Médios (até 83,9 kg / 185 lb)

Na melhor luta do card principal, o russo, naturalizado francês, Nassourdine Imavov (12-3) venceu Joaquin Buckley (15-5) por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27).

Imavov e Buckley fizeram um round tenso. Imavov se saiu melhor na trocação, dominando o centro do octógono, alem de ter acertado bons golpes em Buckley. No final do round chegou a trazer algum perigo para Buckley no chão. Buckley voltou para o segundo round mais ativo. Alem da boa movimentação, Buckley atingiu alguns bons golpes em Imavov. Perto do fim do round, Imavov achou mais prudente levar a luta para o chão para reduzir o impeto de Buckley, o que quase lhe garantiu uma finalização. No terceiro e ultimo round, Imavov pareceu mais cansado, o que o fez reduzir seu potencial de ataque. Por outro lado, Buckley sentindo o senso de urgência de seu coach, se mostrou mais agressivo e combativo por todo o round.


Alessio Di Chirico vs. Roman Kopylov (KO; 3R)

Categoria: Médios (até 83,9 kg / 185 lb)

Em uma boa luta, Roman Kopylov (9-2) reverteu uma sequencia de duas derrotas consecutivas ao venceu o italiano Alessio Di Chirico (13-7) por nocaute no terceiro round.


Kopylov e Chirico fizeram um round inicial bastante duro, com uma trocação agressiva de ambos os lados. Porém, foi o russo Kopylov que conseguiu desferir os melhores golpes. Chirico se saiu melhor no segundo round. Chirico não só buscou mais a luta, como foi mais efetivo na trocação e volume de golpes, o que lhe garantiu o round em nossa visão. No último round, Chirico estava novamente buscando mais a luta, até que Kopylov o acertou com uma boa sequencia de golpes contundentes, o ultimo deles levando Chirico a nocaute.


William Gomis (decisão majoritaria; 29-28, 29-28, 29-29) vs. Jarno Errens

Categoria: Pena (até 65,8 kg / 145 lb)


Ainda pela divisão do penas, William Gomis (11-2) venceu Jarno Errens (13-4-1) em outra luta de três rounds completos.

Gomis fez um bom primeiro round, mostrando domínio na trocação em pé (volume e contundência de golpes). Gomis entrou mais confiante no segundo round e quase pagou por isso. Gomis foi acertado por uma boa joelhada de Errens. Porém, Errens não conseguiu capitalizar o bom momento e deixou ser derrubado por Gomis que voltou a controlar o round, como no anterior. No round final, Gomis continuou dominante, embora tenha sido um round mais parelho. Gomis quase foi pego em um triângulo justíssimo de Errens, combinado com uma chave de braço.


Charles Jourdain vs. Nathaniel Wood (decisão unânime; 30-27, 30-27, 29-28)

Categoria: Pena (até 65,8 kg / 145 lb)

Em uma luta fraca, o inglês Nathaniel Wood (19-5) venceu por pontos (30-27, 30-27, 29-28) Charles Jourdain (13-6-1) pela divisão dos penas.


O round inicial foi parelho. Wood começou melhor na luta. Mais ativo na trocação em pé, Wood chegou a derrubar Jourdain no meio do round, mas foi pouco efetivo. Ambos desferiram um bom volume de golpes contundentes em pé, porém Wood se saiu ligeiramente melhor. Wood continuou ligeiramente melhor no segundo round, especialmente quando a luta esteve em pé. Ao levar a luta para o chão, Wood foi apático. No round final, Wood manteve a mesma estratégia dos rounds anteriores. Em pé mostrou uma torração pouco empolgante, fazendo o mínimo para levar a luta por pontos. E no único momento em que levou para o chão, Wood continuou pouco efetivo, quase como se quisesse ganhar tempo.


Por: Silvio e Flávio Dória