UFC Brasilia: O show tem que continuar

A história do UFC é cheia de contratempos, especialmente em seus primórdios. Mas o que ocorreu em Brasília foi algo inédito. Por conta de um escalamento do surto de coronavírus, os portões tiveram que ser fechados ao público. Eventos esportivos e grandes aglomerações por todo o mundo estão sendo evitados e o UFC acabou sendo afetado. Essa foi a primeira vez na história da organização que um evento teve que ser realizado sem público e não deve ser o único. Durante o evento em Brasília, a Comissão Atlética de Nevada emitiu nota proibindo lutas esportivas de contato no estado de Nevada. Sendo assim, os próximos eventos do UFC, que haviam sido transferidos para o complexo do UFC aparentemente estão suspensos.


Em Brasilia, a tarde de lutas foi empolgante como esperado. Pela luta principal, Charles Oliveira (29-8-1) venceu por finalização Kevin Lee (18-6-0) no terceiro round. Renato Moicano e Demian Maia também brilharam. Em uma luta rápida (44 segundos), Renato Moicano (14-3-1) finalizou Damir Hadžović (13-6-0) ainda no primeiro round por finalização. Em outra luta rápida, Gilbert Burns (18-3-0) venceu Demian Maia (28-10-0) por nocaute técnico, um final improvável para uma luta de dois especialistas no jiu-jitsu.


Card principal


Kevin Lee vs. Charles Oliveira

Categoria: Peso Combinado

Charles Oliveira venceu Kevin Lee por finalização no 1R

Em uma ótima performance, Charles Oliveira (29-8-1) venceu por finalização Kevin Lee (18-6-0). Charles fez um bom primeiro round. Boa parte do round se transcorreu no chão. Apesar de Kevin Lee estar por cima no chão, ele esteve em modo de defesa todo momento. Charles tentou por diversas uma chave de perna, mas sem sucesso. Quando a luta esteve em pé, no início do round, Charles foi melhor também. Charles continuou melhor no segundo round. O brasileiro esteve melhor em pé, acuando Lee em alguns momentos. Apenas, no final do round Lee conseguiu pressionar Charles no chão, mas não o suficiente para virar o round em seu favor. No terceiro round, Charles acertou um chute em Lee, facilmente defendido pelo norte-americano. Porém, no exato momento em que Lee pegou a perna de Charles, o brasileiro encaixou um estrangulamento bastante firme, levando Lee a dar o tap out.


Demian Maia vs. Gilbert Burns

Categoria: Médio

Gilbert Burns venceu Demian Maia por nocaute técnico no 1R

Em outra luta rápida, Gilbert Burns (18-3-0) venceu Demian Maia (28-10-0) por nocaute técnico, um final improvável para uma luta de dois especialistas no jiu-jitsu. Demian Maia iniciou a luta encurralando Durinho no corner e, após derrubá-lo, tentou um estrangulamento sem sucesso. Ao tentar montar em Durinho, acabou perdendo a posição. Em pé Durinho conseguiu um belo knockdown com um soco de esquerda. Após Demian cair, Durinho partiu para cima em uma sequência de golpes até o árbitro encerrar a luta por nocaute técnico.


Terminada a luta, Durinho pediu um combate contra Colby Covington. "Acredito que agora eu tenha entrado no top 5 da categoria. Eu quero enfrentar o Colby Covington. Ele veio para São Paulo, falou um monte de besteira. Na época eu era peso-leve, não podia falar sobre isso. Mas agora eu sou um meio-médio e quero enfrentá-lo em qualquer lugar” disse o brasileiro.


Renato Moicano vs. Damir Hadžović

Categoria: Médio

Renato Moicano venceu Damir Hadžović por finalização no 1R

Em uma luta rápida (44 segundos), Renato Moicano (14-3-1) finalizou Damir Hadžović (13-6-0) ainda no primeiro round por finalização. Moicano pressionou Hadžović e após derrubá-lo, conseguiu encaixar um estrangulamento, sem chance de defesa. Em entrevista ainda no octógono, Moicano pediu por uma luta contra Paul Felder, de uma categoria abaixo (dos Leves).


“Essa semana foi complicada. Meu filho passou dois dias no hospital, a gente não sabia o que era. Foi muito difícil, eu pensei até em sair da luta, não tinha condições de lutar com ele passando mal. Mas minha mulher manteve a calma, me ajudou a manter a calma por aqui e deu tudo certo, meu filho está ótimo. Dedico essa vitória aos dois" confidenciou o brasileiro à imprensa logo após a luta.


Johnny Walker vs. Nikita Krylov

Categoria: Meio Pesado

Nikita Krylov venceu Johnny Walker por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28)

Em mais um revés do brasileiro, Johnny Walker perdeu para Nikita Krylov (26-7-0) por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28). Após a luta, Krylov enalteceu o brasileiro. “Foi uma luta difícil, o Johnny é um oponente duro, tem um grande jogo em pé. Meu plano era levá-lo para o chão e controlá-lo com socos. Mas não sei o que aconteceu, eu me senti muito cansado no segundo round. Talvez tenha sido porque ele me acertou algumas vezes. Mas depois consegui seguir o planejado e vencer a luta. Eu quero muito voltar para a minha casa, não vejo a minha família há dois meses e meio. E eu não quero pensar no meu futuro no UFC, só quero descansar.”


Francisco Trinaldo vs. John Makdessi

Categoria: Leve

Francisco Trinaldo venceu John Makdessi por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)

Pela primeira luta do card principal, Francisco Trinaldo (25-7-0) venceu John Makdessi (17-7-0) em uma luta de três rounds completos. A vitória veio por pontos. Trinaldo venceu por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28).


Por Silvio e Flavio Doria

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.