UFC 273: Durinho mostra que Chimaev pode ser derrotado

O UFC 273, possivelmente o melhor evento do ano até então, trouxe uma resposta a muitos questionamento dos fãs. Tido como o lutador mais temido da divisão dos leves, Chimaev apesar de ter saído vitorioso, mostrou que pode ser derrotado. O brasileiro Durinho esteve muito próximo de vence-lo, no que para nós e boa parte dos fãs, foi a melhor luta da noite. Pelo co-main event, na disputa do cinturão oficial da divisão dos galos, Aljamain Sterling provou que ele é merecedor do cinturão, após muitos questionamentos de que ele era indigno de possuir o cinturão interino dos galos após toda a confusão da disputa anterior. Sterling não só venceu Petr Yan, como o dominou em boa parte dos rounds, em uma vitória incontestável. E pelo main event, Alexander Volkanovski defendeu pela terceira vez seu cinturão dos penas. “The Korean Zumbi” fez jus ao apelido e partiu pra cima de Volkanovski em todos os rounds, mesmo sofrendo duros ataques em pé de Volkanovski. Praticamente todo round ele tomou knock-downs. No último round, Herb Dean decidiu encerrar a luta ao perceber que Chan Sung não o faria. Destacamos apenas três combates, mas todas as lutas do card merecem highlights, no que em nossa opinião foi o melhor evento do ano, sem dúvida.


Card principal

Alexander Volkanovski vs. Chan Sung Jung

Categoria: Pena

Em uma vitória contundente, Alexander Volkanovski (24-1) venceu por nocaute técnico Chan Sung Jung (17–4) no quarto round, garantindo assim sua terceira defesa bem sucedida de seu cinturão dos penas.

Volkanovski se saiu muito bem no round inicial. Em pé, sua trocação foi bastante efetiva, já causando danos no Zumbi coreano. Em alguns momentos, Chan Sung chegou a cair após os chutes baixos de Volkanovski. No segundo round, mais uma vez, Volkanovski foi amplamente superior, chegando até a obter um knock-down após uma de suas sequencias de golpes contundentes. Chan Sung foi salvo pelo gongo no terceiro round. Assim como nos rounds anteriores, ele foi duramente castigado, chegando a sofrer outro knockdown, mas manteve-se firme no combate. Volkanovski continuou castigando Chan Sung no quarto round, mas dessa vez Herb Dean achou prudente encerrar o combate, dando a vitória para Volkanovski por nocaute técnico.


Aljamain Sterling vs. Petr Yan

Categoria: Galo


Em uma disputa de cinturão duríssima, Aljamain Sterling (21-3) finalmente venceu (decisão dividida) Petr Yan (16-3) e agora pode se considerar o detentor oficial da divisão dos galos.


O primeiro round foi bastante parelho. Nenhum dos lutadores conseguiu se sobressair no round. Sterling se saiu melhor no segundo round. Foi um domínio quase que total. Sterling passou quase todo o round nas costas de Petr Yan buscando uma finalização incessantemente. Novamente Petr Yan passou bastante dificuldade, ao ser totalmente dominado pelo jogo de chão de Sterling, que parece ter encontrado o caminho do tesouro (para vencer o russo). Diferente dos rounds anteriores, Petr Yan foi quem se saiu melhor no quarto round, mas sem mostrar grande contundência, mas voltando a se manter competitivo na luta, perto de uma vitória. No final do round, novamente Pets Yan se saiu melhor, dando trabalho para Sterling no chão.


Gilbert Burns vs. Khamzat Chimaev

Categoria: Meio-Médio


Mantendo sua invencibilidade, Khamzat Chimaev (11-0) superou o brasileiro Gilbert Burns (20-5) por decisão unânime (29-27, 29-27, 29-27). Apesar da derrota, Burns foi bastante elogiado (por Chimaev e Dana White). Até agora no UFC, Burns foi o que chegou mais próximo de derrota-lo.


Burns se saiu bem contra Chimaev no round inicial. Conseguiu aplicar bons jabs e chutes baixos. Porém, no final do round o brasileiro sofreu um knock-down, que quase lhe custou a luta. Burns tirou Chimaev da zona de conforto no segundo round, com sua trocação afiada. Essa foi a primeira vez que vimos Chimaev sofrer em um round! No round final, a resistência de Chimaev se sobressaiu. Mais cansado, Burns foi um alvo fácil para a trocação pesada de Chimaev. Em alguns momentos, Burns conseguiu acertar bons golpes, mas sem a contundência de Chimaev.


Mackenzie Dern vs. Tecia Torres

Categoria: Palha (feminino)


Em uma luta bastante empolgante, Mackenzie Dern (12-2) venceu Tecia Torres (13-6) por decisão dividida (28-29, 29-28, 29-28).

O round inicial foi bastante movimentado. Dern se manteve mais ativa na trocação, mas por outro lado impressão a velocidade de movimentação de Torres, que foi capaz de se manter fora do raio de ação da brasileira em diversos momentos. Dern aplicou uma Kimura em pé em Torres impressionante. Por muito pouco ele esteve perto de conseguir a finalização, mas Torres usou bem a grade para se proteger. Quase todo o round ela passou defendendo seu braço de uma finalização de Dern! No round final, surpreendentemente, Torres se saiu melhor. Seus chutes altos chegaram a atingir em cheio Dern, levando a brasileira a cambalear em um momento. Foi um round em que Torres conseguiu explorar melhor seu jogo em pé, mas não o suficiente para decidir a luta.


Vinc Pichel vs. Mark Madsen

Categoria: Leve

Por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28), Mark Madsen (12-0) venceu Vinc Pichel (14-3). Uma vitória previsível. Madsen é um dos lutadores mais condecorados da divisão dos leves (detentor de uma medalha de prata na categoria 75 kg de wrestler nos Olimpíadas Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro).


Pichel fez um bom primeiro round. Foi ele quem tomou a iniciativa durante o round, o que lhe garantiu um maior volume de golpes. O destaque foram suas sequências de chutes, que minaram Madsen. Pichel continuou melhor no segundo round, mostrando superioridade não só em pé, mas também no chão. No round final, Madsen conseguiu controlar bem a luta no chão, não tomando muito risco e colocando pressão sobre Pichel.


Por Silvio e Flavio Doria