UFC 257: Um dos cards mais disputados dos últimos anos

O UFC 257 foi um evento para entrar para a história. Possivelmente quando chegarmos no final do ano e fizermos uma retrospectiva das melhoras lutas do ano, três dessas lutas sairão deste card. A disputa do cinturão dos meio-pesados, do peso mosca feminino e a revanche de Zhang Weili e Joanna Jedrzejczyk foram espetaculares. Porém, infelizmente o saldo foi negativo para o Brasil.


Em uma das mais disputadas disputas de cinturão já vistas, Jiri Prochazka (29-3-1) finalizou Glover Teixeira (33–8) nos segundos finais do último round, em uma luta que se encaminhava para uma vitoria do brasileiro por pontos. Prochazka levou o cinturão e se confirmou como uma das ascensões mais meteórica na história do UFC. Com apenas três lutas, Prochazka já assumiu o cinturão da divisão e tem potencial para mante-lo por algum tempo. Em outra disputa de cinturão, Valentina Shevchenko (23-3) manteve seu cinturão dos moscas ao vencer Taila Santos (19-1) por decisão dividida (48–47, 47–48, 49–46). Foi uma luta de superação para Shevchenko que por diversas vezes esteve muito perto de ser finalizada. E por fim, na melhor luta do ano do UFC entre as mulheres, Zhang Weili (22-3) nocauteou Joanna Jedrzejczyk (16-5) na segunda luta entre ambas, as duas vencidas pela chinesa. Infelizmente, ao final da luta, Jedrzejczyk anunciou sua aposentadoria do octógono, deixando para trás um legado de lutas históricas na organização.


Card principal

Glover Teixeira vs. Jiri Prochazka

Categoria: Meio-Pesado

Em uma das mais disputadas disputas de cinturão já vistas, Jiri Prochazka (29-3-1) finalizou Glover Teixeira (33–8) nos segundos finais do último round, em uma luta que se encaminhava para uma vitoria do brasileiro por pontos.


Glover dominou boa parte do primeiro round, porém no final quase entrou em dificuldade, após Prochazka reverter uma posição no chão. Se houvesse mais tempo, o brasileiro estaria em dificuldade. Porém, foi Glover que levou o round em nossa visão. Glover mostrou ter um queixo resistente. Após passar boa parte do segundo round sendo dominado em pé (na trocação), Glover conseguiu se recuperar e quase nocauteou Prochazka nos segundos finais do round. A luta ficou sangrenta no terceiro round, porém dessa vez o domínio de Prochazka foi quase que total, em pé e no chão. Por outro lado, Glover mostrou uma resistencia incrível, buscando o jogo de chão toda vez em que esteve perto de seu nocauteado em pé. Glover voltou a crescer na luta no quarto round, quase finalizando Prochazka em duas oportunidades. Glover continuou melhor no round final, crescendo dessa vez também na trocação em pé. Porém, nos segundos finais da luta, Glover foi enfim finalizado por estrangulamento no único bom momento de Prochazka no round final.


Valentina Shevchenko vs. Taila Santos

Categoria: Mosca (Feminino)


Valentina Shevchenko (23-3) manteve seu cinturão ao vencer Taila Santos (19-1) por decisão dividida (48–47, 47–48, 49–46). Foi uma luta de superação para Shevchenko que por diversas vezes esteve muito perto de ser finalizada.


Taila conseguiu colocar Shevchenko em uma situação de dificuldade poucas vezes vista, mas Shevchenko resistiu bravamente. No segundo round, mesmo com Taila no chão, em cima de Shevchenko, foi a própria Shevchenko que mostrou mais agressividade, desferindo uma grande quantidade de golpes. No terceiro round, novamente Taila mostrou domínio no chão, quase finalizando Shevchenko mais uma vez. Taila visivelmente sentiu a cabeçada acidental no olho no quarto round e sua performance caiu significativamente. Shevchenko por outro lado, aproveitou o momento e intensificou a trocação em pé, garantindo o round a seu favor. Apesar dos esforços do corner de Taila, Shevchenko conseguiu dominar o round final, mesmo quando a luta foi para o chão, onde a brasileira até então tinha domínio.


Zhang Weili vs. Joanna Jedrzejczyk

Categoria: Palha


Na melhor luta do ano do UFC entre as mulheres, Zhang Weili (22-3) nocauteou Joanna Jedrzejczyk (16-5) na segunda luta entre ambas, as duas vencidas pela chinesa. Infelizmente, ao final da luta, Jedrzejczyk anunciou sua aposentadoria do octógono, deixando para trás um legado de lutas históricas na organização.


Weili e Jedrzejczyk mostraram uma trocação insana no inicio do primeiro round, com a chinesa levando a melhor. Do meio para o final, Weili mostrou um habilidoso e agressivo jogo de chão, não dando espaço algum para Jedrzejczyk. De forma inacreditável, no segundo round, Weili conseguiu nocautear Jedrzejczyk com um soco giratório que deve entrar para os highlights do ano da organização.


Ramazan Emeev vs. André Fialho

Categoria: Meio-Médio


Mostrando uma boa performance, Jake Matthews (18-5) venceu o jovem prospecto de Portugal, André Fialho (16-5-1NC) por nocaute no inicio do segundo round.


Apesar de Fialho ter dominado o centro do octógono por todo o round, foi Matthews que mais trocou golpes, mostrando não só mais volume, como também mais contundência nos golpes. Apenas nos segundos finais do round Fialho mostrou força na trocação. O segundo round foi ainda mais intenso. Matthews aumentou o ritmo da trocação e começou acertar poderosas bombas em Fialho, mostrando uma trocação rápida e certeira. Demorou, mas enfim após várias sequencias ele conseguiu nocautear o português.


Jack Della Maddalena vs. Ramazan Emeev

Categoria: Meio-Médio


Em uma luta rápida, Jack Della Maddalena (12-2) venceu Ramazan Emeev (20–6) por nocaute técnico após quase ser finalizado.

O primeiro round começou empolgante! Emeev esteve muito próximo de finalizar Maddalena por um estrangulamento, mas ele conseguiu escapar e quando a luta voltou em pé, Maddalena o atacou com uma sequência de golpes contundentes que levaram Emeev ao chão. Estranhamente Emeev entrou no octógono com a parte direita de sua cintura com uma vermelhidão grande, parecendo uma queimadura.

Por Silvio e Flavio Doria