UFC 248: Adesanya e Weili mantêm seus respectivos cinturões

Estiveram um jogo no UFC 248 dois cinturões. Não apenas um cinturão qualquer, mas o dos dois maiores prospectos do UFC hoje, o nigeriano Israel Adesanya e a chinesa Zhang Weili. Os dois atletas são o exemplo perfeito de como este esporte se tornou global. A pouco mais de um ano não se podia imaginar um representante de peso na organização vindo do continente africano e asiático. Hoje, esses dois nomes, já consolidaram em suas respectivas divisões e não se enxerga, até o momento, adversários a altura de derrotá-los. Pois bem, feita essa breve e necessária introdução, vamos às lutas.


Em uma luta frustrante, praticamente sem combatividade, Israel Adesanya (19-0-0) venceu Yoel Romero (13-5-0) por pontos e manteve seu cinturão. Certamente essa foi uma das disputas de cinturão mais decepcionantes da história da organização. Adesanya fez o necessário para vencer Romero, não assumindo em nenhum momento risco algum, embora o nigeriano tenha armas o suficiente para neutralizar o cubano. Pelo cinturão palha feminino, Zhang Weili (21-1-0) venceu Joanna Jędrzejczyk (16-5-0) por decisão dividida (48-47, 47-48, 48-47) e manteve seu cinturão. Foi uma batalha de cinco rounds muito parelhos e, seguramente, uma das melhores lutas da divisão feminina do UFC na história da organização.


Durante a noite do UFC 248, foi divulgado para toda a imprensa que a luta clássica de 2013 entre o campeão dos meio-pesados do UFC Jon Jones e Alexander Gustafsson será incluída na 'Fight Wing' do Hall da Fama do UFC. A cerimônia será realizada na quinta-feira, 9 de julho, no The Pearl, no Palms Casino Resort, em Las Vegas. O evento será transmitido ao vivo no UFC FIGHT PASS.


Card principal.


Israel Adesanya vs. Yoel Romero

Categoria: Médios (disputa de cinturão)

Israel Adesanya vence Yoel Romero por decisão unânime (48–47, 48–47, 49–46)

Em uma luta frustrante, praticamente sem combatividade, Israel Adesanya (19-0-0) venceu Yoel Romero (13-5-0) por pontos e manteve seu cinturão. Certamente essa foi uma das disputas de cinturão mais decepcionantes da história da organização.


O primeiro round começou de forma inusitada. Romero ficou estático com a guarda elevada e… imóvel. Da mesma forma, Adesanya também não atacou, ficando sem saber como reagir aparentemente. Ambos, praticamente não atacaram no round inicial, arrancando vaias por toda arena. O melhor momento do round foi de Romero que acertou um poderoso soco em cheio no rosto de Adesanya. Da mesma forma que o primeiro, o segundo round foi pouco dinâmico. Porém, em um determinado momento, Romero desferiu um ataque mais contundente em Adesanya, levando-o a recuar. No terceiro round mais do mesmo. Ambos quase não buscaram o ataque. Sobraram fintas, porém faltou efetividade. A luta continuou decepcionante no quarto round, com pouca combatividade de ambos os lutadores Já no quinto e último round, houve pouco ataque de novo, porém quando arriscou os jabs, Romero foi muito bem, levando Adesanya a correr pelo octógono.


Zhang Weili vs. Joanna Jędrzejczyk

Categoria: Palha feminino (disputa de cinturão)

Zhang Weili vence Joanna Jędrzejczyk por decisão dividida (48-47, 47-48, 48-47)

Pelo cinturão palha feminino, Zhang Weili (21-1-0) venceu Joanna Jędrzejczyk (16-5-0) por decisão dividida (48-47, 47-48, 48-47) e manteve seu cinturão. Foi uma batalha de cinco rounds muito parelhos e, seguramente, uma das melhores lutas da divisão feminina do UFC na história da organização.


O primeiro round foi bastante parelho, com um volume de golpes muito parecido. No entanto, quando ambas foram para uma trocação franca, Weili levou vantagem em nossa opinião. Joanna por outro lado foi bem nos chutes baixos, embora não tenha demonstrado sentir os golpes. O round seguinte começou da mesma forma que o primeiro, bastante parelho. Porém, pouco a pouco Weili foi apresentando um jogo em pé superior, aplicando golpes mais contundentes. No terceiro round, o cansaço pesou sobre a chinesa. Joanna manteve consistência, mostrando ainda agressividade e rapidez nas sequências de golpes. A trocação continuou intensa no quarto round. Chamou a atenção o enorme inchaço na testa de Joanna, fazendo lembrar Mark Hominick em sua luta contra Jose Aldo. No quinto e último round, Weili continuou na frente, aplicando os golpes mais contundentes.


Beneil Dariush vs. Drakkar Klose

Categoria: Leve

Beneil Dariush vence Drakkar Klose por nocaute no 1R

Beneil Dariush (18-4-1) superou Drakkar Klose (11-2-1) em uma luta eletrizante. Dariush quase finalizou Klose no primeiro round, porém no segundo, quando a luta foi para a pancadaria, Dariush levou a melhor, vencendo por nocaute.


Dariush começou bem o primeiro round, com seu excepcional jogo de grappling. Dariush passou praticamente todo o round, nas costas de Drakkar, preso na posição de cadeado enquanto procurava espaço para um estrangulamento. Drakkar conseguiu sobreviver a pressão, mas perdeu o round. O segundo round foi insano! Os dois lutadores foram para a trocação franca. Dariush chegou a levar dois golpes limpos que o levaram a balançar, porém Dariush acertou um direto certeiro no queixo de Klose, levando-o a nocaute.


Neil Magny vs. Li Jingliang

Categoria: Meio-médio


Neil Magny (22-8-0) fez uma excelente luta, vencendo Li Jingliang (17-6-0) por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27). Foram três rounds de domínio pleno do norte-americano, que não lutava pela organização há mais de um ano (16 meses sendo mais preciso). Ao final do terceiro round, Magny parecia inteiro, pronto para quanto mais rounds fosse preciso, ao contrário de Jingliang, exausto e frustrado. Com a vitória, Magny já é o terceiro meio-médio com mais vitória na história do UFC.


Mais vitórias na história dos meio-médios do UFC

19 - Georges St-Pierre

16 - Matt Hughes

15 - Neil Magny

15 - Thiago Alves

15 - Matt Brown


Alex Oliveira vs. Max Griffin

Categoria: Meio-médio

Alex Oliveira vence Max Griffin por decisão dividida (29-28, 29-28, 28-29)

Na primeira luta do card principal, Alex Oliveira (20-8-1) venceu Max Griffin (15-8-0) por decisão dividida (29-28, 29-28, 28-29) em uma luta empolgante e sangrenta. O primeiro round foi bastante parelho, mas ainda sim vimos uma ligeira vantagem para Griffin. Mais agressivo e combativo, Griffin mostrou maior volume de golpes, inclusive significativos e até uma queda no final do round. No segundo round, Cowboy foi melhor. O brasileiro começou a explorar chutes baixos, que reduziram a movimentação de Griffin. No começo no round, um soco frontal de Cowboy acabou provocando um corte profundo no supercílio de Griffin, o que deixou sua situação mais difícil na luta. Apesar de estar bem na trocação, Cowboy explorou mais a luta agarrada, onde foi superior. No chão, pressionado pela grade e com um corte profundo no rosto, Griffin nada pode fazer, a não ser tentar sobreviver na luta.


Por Silvio e Flavio Doria

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.