UFC 243: Adesanya unifica o cinturão dos médios

O UFC 243 foi o quarto evento já realizado em Melbourne, Austrália, e o segundo realizado no Marvel Stadium. E os personagens da franquia Avangers não estiveram presentes apenas nas paredes do estádio. Christopher Hemsworth, o Thor, esteve presente na primeira fileira do evento para acompanhar a unificação do cinturão dos médios, título alcançado por Israel Adesanya “The Last Stylebender”. Adesanya (18-0-0) venceu de forma contundente Robert Whittaker (20-5-0) por nocaute no segundo round.


Entre os brasileiros, o destaque ficou por conta de Dhiego Lima (15-7-0) que venceu de forma dominante o atleta da casa, Luke Jumeau (13-5-0), Porém, em uma decisão controversa um árbitro de mesa viu vitória de Jumeau, o que quase pôs em risco a excelente performance do brasileiro.


Card principal


Robert Whittaker vs. Israel Adesanya “The Last Stylebender”

Categoria: Médio

Israel Adesanya (18-0 MMA, 7-0 UFC) vence Robert Whittaker (20-5 MMA, 11-3 UFC) por nocaute

Na luta principal do UFC 243, pela unificação do cinturão dos médios, Israel Adesanya “The Last Stylebender” (18-0-0) venceu de forma contundente Robert Whittaker (20-5-0) por nocaute no segundo round.


O primeiro round estava bastante parelho, com ligeira vantagem para Whittaker que iniciou o round tomando a iniciativa da luta e bastante agressivo nos ataques. Porém, no último segundo, Whittaker levou um knock-down que virou o resultado do round. O segundo round foi quase um replay do segundo. Israel Adesanya estava com o reflexo em dia, desviando de boa parte dos golpes de Whittaker. Até que no final do round, ele conseguiu um knock-down, que dessa vez foi seguido de alguns golpes contundentes levando o fim da luta por nocaute.


O brasileiro Paulo Borrachinha, presente no estádio, foi convocado para a primeira defesa de Adesanya.


Al Iaquinta vs. Dan Hooker

Categoria: Leve

Dan Hooker (19-8 MMA, 9-4 UFC) vence Al Iaquinta (14-6-1 MMA, 9-5 UFC) por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-26)

Em uma luta empolgante, Dan Hooker (19-8-0) venceu de forma dominante (decisão unânime por 30-27, 30-27, 30-26) Al Iaquinta (14-6-1). Essa foi uma importante vitória para Hooker que venceu um atleta duro e bem rankeado (6o na divisão).


Dan Hooker venceu o primeiro round por ampla margem. O atleta neozelandês passou boa parte do round minando a parte de baixo da perna de Al Iaquinta. No final, após derrubar o norte-americano, Dan Hooker o atacou com boas cotoveladas, seguida de uma tentativa de estrangulamento. O segundo round foi mais parelho, porém com ligeira vantagem para Dan Hooker na nossa visão. No round final, Al Iaquinta continuou em desvantagem mas sua bravura impressionou. Mesmo com o nariz completamente quebrado e a perna bastante marcada ele continuou indo para cima como se nada tivesse acontecido.


Em entrevista ainda no octógono, Dan Hooker foi direto e desafiou Dustin Poirier. "Poirier… vou acabar com você!" disse Hooker.


Tai Tuivasa vs. Sergey Spivac

Categoria: Pesado

Serghei Spivac (10-1 MMA, 1-1 UFC) vence Tai Tuivasa (10-3 MMA, 3-3 UFC) por finalização no 1R

Para a frustração da torcida local, Sergey Spivac (10-1-0) conseguiu uma boa vitória por finalização sobre Tai Tuivasa (8-3-0). Tuivasa apresentou uma performance bastante fraca. Com uma defesa quase nula nas quedas. No momento final da luta ele pareceu aceitar o estrangulamento.


Spivac começou o round acuado, levando um poderoso chute na altura das pernas que o fez cair, mas logo em seguida ele se recuperou e começou a se soltar mais na luta. Seu melhor momento foi uma queda de judô em Tuivasa faltando 1 minuto. Spivac continuou em vantagem no segundo round, explorando mais as quedas. Em uma delas o russo caiu por cima e aplicou alguns golpes contundentes que levaram um corte no rosto de Tuivasa. Na sequência, Spivac conseguiu um estrangulamento, que levou o fim da luta. Tuivasa mostrou uma defesa quase nula nas quedas. No momento final da luta ele pareceu aceitar o estrangulamento.


Luke Jumeau vs. Dhiego Lima

Categoria: Meio-Médio

Dhiego Lima (15-7 MMA, 4-5 UFC) vence Luke Jumeau (13-5 MMA, 2-2 UFC) por decisão dividida (28-29, 29-28, 29-28)

Em uma boa performance, Dhiego Lima (15-7-0) venceu de forma dominante o atleta da casa, Luke Jumeau (13-5-0), mas não na visão dos árbitros de mesa, que estranhamente deram vitória para o brasileiro por decisão dividida (28-29, 29-28, 29-28).


O primeiro round foi de muito respeito entre os dois lutadores, que passaram boa parte do round se estudando. Dhiego Lima saiu em ligeira vantagem na nossa visão por conta dos diversos chutes baixos (na altura da panturrilha) que deixaram as pernas Luke Jumeau marcadas. No segundo round, Dhiego Lima continuou explorando os chutes baixos, sua principal arma no round anterior. Nos minutos finais uma rápida trocação franca entre os dois quase trouxe problema para o brasileiro, que pareceu balançar, mas nada que lhe custasse o round. Dhiego Lima conseguiu manter todo o round final sob controle, sem se expor muito, se movimentando bem e travando a luta em alguns momentos.


Justin Tafa vs. Yorgan de Castro

Categoria: Pesado

Yorgan De Castro (6-0 MMA, 1-0 UFC) vence Justin Tafa (3-1 MMA, 0-1 UFC) por nocaute no 1R

Na primeira luta do card principal, Yorgan de Castro conseguiu um nocaute brutal logo no início do primeiro round. Tafa começou o primeiro round já partindo para a trocação, e foi contra-atacado de imediato. Castro acertou um poderoso chute no corpo do atleta da Nova Zelândia. Pouco depois, Tada partiu para um ataque direto e foi acertado com um soco certeiro no queixo por Castro.


Por Silvio e Flávio Dória

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.