UFC 237: Jessica derrota Namajunas com um bate estaca e leva o cinturão Palha

Apesar do menor número de lutas (duas lutas foram retiradas do card) e das baixas sofridas pelos brasileiros, o Brasil pode sair com a cabeça erguida de mais uma edição do UFC Rio. O saldo no geral foi positivo. Jessica Andrade, foi a única brasileira e ganhar no card principal, conquistando um cinturão ainda inédito para o país. O destaque negativo da noite ficou por conta de uma atuação com pouco brilho de Anderson Silva, lesionado após sofrer um chute na parte interna da perna por Jared Cannonier. José Aldo, o "Rei da cidade do Rio de Janeiro", também saiu derrota porém sua performance foi bastante satisfatória. Thiago Alves e Bethe Correia também saíram derrotados do card principal (para Laureano Starpoli e Irene Aldana, respectivamente).


Card Principal


Rose Namajunas vs. Jéssica Andrade (vencedora; campeã; nocaute técnico; 2R)

Categoria: Palha (feminino)

Na principal luta da noite, valendo o cinturão peso palha (feminino), Jéssica Andrade (20-6-0) derrotou Rose Namajunas (8-4-0) e se sagrou a nova detentora do cinturão palha feminino. 


O desfecho da luta foi inacreditável. Jessica não estava conseguindo desenvolver seu jogo até que no segundo round a brasileira tirou um golpe que inclusive é seu apelido, sua marca (o bate estaca). 


O primeiro round foi ruim para a brasileira. Jessica terminou o round com um sangramento no olho esquerdo por conta dos golpes sofridos por Namajunas e quase foi finalizada em um determinado momento do round. Namajunas estava melhor também no segundo round, mantendo bem a distância, recuando e pegando Jessica no contra-golpe. Até que Jessica atirou Namajunas no chão em um bate estaca incrível e iniciou uma série de golpes contundentes levando o fim da luta!


Namajunas vinha de uma sequência de 3 vitórias, das quais duas delas contra Joanna Jedrzejczyk ambas valendo o cinturão da categoria. Jã Jéssica Andrade também vinha de uma sequência de 3 vitórias, a última delas um nocaute sobre Karolina Kowalkiewicz, antiga algoz de Namajunas. Porém, a brasileira registra uma derrota para Joanna Jedrzejczyk em seu cartel, uma oponente que Namajunas já venceu duas vezes seguidas.


Jared Cannonier (vencedor; nocaute técnico; 1R) vs. Anderson Silva

Categoria: Médio

A tão aguardada luta acabou de maneira inesperada. No final do primeiro round (um bom round para Anderson Silva, diga-se de passagem), Anderson Silva levou um chute na parte interna da perna, caindo de dor na sequência. O arbitro então declarou nocaute técnico de Cannonier.


Na entrevista ainda no octógono, Cannonier recebeu uma das maiores vaias que o Pós-luta já viu em um evento do UFC. Silva, por outro lado, foi ovacionado.


Ambos vinham de uma sequência bastante irregular na organização. Cannonier venceu apenas 2 de suas últimas 5 lutas no UFC. Além disso, suas vitórias são contra nomes de pouca expressão. Anderson Silva (@SpiderAnderson) possui um cartel imensamente superior, no entanto acumula uma série de revezes ainda piores do que os de Cannonier, com uma vitória nas últimas 5 lutas. 


José Aldo vs. Alexander Volkanovski (vencedor; decisão unânime)

Categoria: Pena


Em uma batalha de tês rounds, Alexander Volkanovski (20-1-0) venceu José Aldo (28-5-0) por decisão unânime (30-37, 30-27, 30-27). Os dois primeiros rounds foram bastante apertados, porém no terceiro Volkanovski foi claramente superior, anulando o jogo de Aldo.


Em bom momento no UFC, José Aldo vinha de 2 vitórias consecutivas, sobre dois nomes de peso (Renato Moicano e Jeremy Stephens, ambos derrotados por nocaute técnico) e já o nome favorito para uma nova disputa de cinturão (com Max Holloway). Já Volkanovski também vinha em uma ascendente na organização, tendo vencido todas suas 6 lutas no UFC.


Thiago Alves vs. Laureano Staropoli (vencedor; decisão unânime)

Categoria: Meio-Medio


Thiago Alves (23-13-0) e Laureano Staropoli (8-1-0) travaram uma luta intensa (e empolgante). Vimos ligeira vantagem de Laureano Staropoli no primeiro round. O argentino mostrou mais agressividade, sempre tomando a atitude na trocação. Thiago Alves, por sua vez, pareceu mais jogar no erro de seu adversário No segundo round, Thiago Alves foi quem mostrou mais agressividade, partindo para uma trocação mais fraca diversas vezes, enquanto que o argentino jogou no contragolpe (várias vezes com cotoveladas de baixo pra cima). A torcida pareceu impulsionar a performance do brasileiro nesse segundo round. O ritmo da luta não mudou no terceiro round, pelo contrário, a trocação ficou ainda mais intensa. No entanto, o argentino terminou o round em vantagem na nossa visão. Ao final, os árbitros deram vitória por decisão unânime (29-27, 29-27, 29-28) a Laureano Staropoli.


Irene Aldana (vencedora; finalização; 3R) vs. Bethe Correia

Categoria: Galo (feminino)


Na primeira luta do card principal, Irene Aldana (10-4-0) venceu Bethe Correia (10-4-1) em uma luta dura, de três longos rounds. Essa foi a segunda vitória de Aldana no Brasil. 

Bethe Correia fez um bom primeiro round, dominando o centro do octógono e encurtando a distância contra a long envergadura de Aldana, que não se encontrou na luta (até o momento). O segundo round também foi favorável para Bethe que continuou indo pra cima incansavelmente. Assim como Cachoeira (que lutou pouco antes), Bethe parece ter mais coração que técnica. Dessa vez pelo menos parece estar dando certo. No round final, Bethe vinha apresentando um volume maior de jogo, mas com pouca efetividade. A mexicana parecia levar a melhor no trocação. Até que Bethe, sentindo mais os golpes tentou levar a luta para o chão e se deu mal, foi finalizada por uma chave de braço por Aldana.

Bethe teve dificuldade para bater o peso da divisão (galo) e teve uma multa de 30% em sua bolsa. 


Card Preliminar


Na primeira luta da noite, Viviane Araujo (7-1-0) azarona por ter sido chamada de última hora, apresentou uma ótima performance derrotando a compatriota Talita Bernardo (top 15 do peso galo) por nocaute! O primeiro round se encerrou com uma ligeira vantagem para Vivi Araujo. Ela esteve mais solta na luta, mais confiante. Conseguiu derrubar no final do round, quase conseguindo uma finalização na sequência. Vivi Araujo também esteve a frente no segundo round, dessa vez com uma vantagem maior. Ela acertou fortes chutes na perna de Talita, deixando um grande hematoma. Apenas nos últimos segs Talita esboçou uma reação, sem sucesso. No último round, Viviane Araujo conseguiu um belo nocaute, após uma série de golpes contundentes certeiros em Talita. Apesar de ter lutado pelo peso galo, Viviane manifestou interesse de continuar em sua divisão original, a peso palha.


Na segunda luta da noite, Raoni Barcelos (14-1-0) venceu o peruano Carlos Huachin (10-4-1) por nocaute técnico no segundo round. Depois de um primeiro round morno, bastante parelho, Raoni Barcelos mostrou por que era o favorito para a luta. Após impor um knock-down sobre Huachin, Barcelos iniciou seu jogo de ground-and-pound, levando o fim da luta.


Em uma luta pouco técnica, Luana Carolina (6-1-0) venceu Priscila Cachoeira (8-3-0) por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-27) . Cachoeira dominou o centro do octógono no primeiro round, mas do meio para o final ela passou a se movimentar quase que em câmera lenta. Mais cansada, Cachoeira passou boa parte do segundo round se deixando atingir pelos golpes de Carolina. Não à toa sofreu um knock-down feio no meio do round. Carolina, no entanto, não conseguiu aproveitar o bom momento. No round final, Carolina apenas administrou a luta, sem se arriscar muito, fugindo e golpeando Cachoeira.


Em uma luta bastante aguardada pelos fãs, Clay Guida (35-18-0) obteve uma vitória sem margem de dúvidas sobre B.J. Penn (16-14-2). O primeiro round foi bastante parelho, de dificil pontuação. Guida manteve uma movimentação pouco ortodoxa que lhe é característica e BJ Penn se manteve em pé, parecendo não estar disposto a usar seu jiu-jitsu. No segundo round, o estilo pouco agressivo de Guida lhe rendeu vaias da torcida, obrigando-o a ficar mais ativo na luta (o que acabou surtindo efeito). B.J. por outro lado começou da sinais de cansaço no final do round. Cansado e com a guarda baixa, B.J. foi alvo fácil para Guida, que chegou a obter um knock-down.


Na sequência, Warlley Alves (13-3-0) venceu Sérgio Moraes (14-5-1) por nocaute técnico no terceiro round. Warlley vinha de dois bons rounds, até que acertou um soco certeiro em um já esgotado Sérgio Moraes. As pernas de Moraes já evidencivam a boa atuação de Warlley e seus chutes. No final do terceiro round, Moraes parecia querer o fim da luta o mais rápido possível. 


Em uma luta de três rounds completos, Thiago Moises (12-3-0) superou Kurt Holobaugh (17-7-0) ao derrota-lo por decisão unânime dos arbtiros. Foi no geral uma boa luta, empolgante, onde o brasileiro por diversas vezes teve seu momento, empolgando a torcida.


Na última luta do card preliminar, Antônio Rogério Nogueira (23-9-0) foi derrotado por Ryan Spann (16-5-0) via nocaute técnico. "Que isso brother... não acredito" disse Warlley Alves na sala de imprensa ao ver Minotouro sendo nocauteado pela TV. 


Flavio Doria

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.