UFC 236: o ano de 2019 já tem suas duas melhores lutas

Quando este ano de 2019 terminar, e muito provavelmente pelos próximos anos, quando o fã de MMA for relembrar as melhores lutas do ano, e quando analistas participarem de suas votações, eles certamente passarão pelo UFC 236 em Atlanta. Com um card já repleto de boas lutas, as duas principais, foram um show a parte. Não a toa, Dana White premiou ambas como luta da noite (geralmente é escolhida apenas uma luta da noite).


Na luta principal da noite, pelo cinturão interino dos leves, Dustin Poirier venceu Max. Holloway em um embate de cinco emocionantes rounds. Desde o primeiro round, Poirier assumiu o ritmo da luta, impondo à Holloway uma sequência brutal de golpes contundentes. O hawaiano no entanto absorveu boa parte dos golpes bravamente. Ao final Poirier recebeu o cinturão dos leves e já definiu o próximo alvo: Khabib Nurmagomedov. Na segunda luta principal da noite, Israel Adesanya também travou uma batalha de cinco rounds contra Kelvin Gastelum. Dois dos maiores (jovens) nomes do UFC hoje, Gastelum e Adesanya deram um show de esquivas, mostrando que são bons não só no ataque, mas também na defesa. Com a vitória, Adesanya se tornou o segundo africano a conquistar um cinturão do UFC.


Card Principal


Max Holloway vs. Dustin Poirier (vencedor; decisão unânime; campeão interino)

Categoria: Leves

Max Holloway (20-3-0) e Dustin Poirier (24-5-0) travaram um dos melhores duelos do ano. Desde o primeiro round, Poirier assumiu o ritmo da luta, impondo à Holloway uma sequência brutal de golpes contundentes. O hawaiano no entanto absorveu boa parte dos golpes bravamente. Em poucos momentos de um ou outro round, Holloway tinha lampejos, mostrando que ele estava ainda no páreo. No entanto, a resistência impressionante de Holloway não foi suficiente para lhe garantir o resultado favorável na luta e Poirier venceu pela decisão dos arbitros, conseguindo (enfim) o cinturão interino dos leves.


Kelvin Gastelum vs. Israel Adesanya (vencedor; decisão unânime; campeão interino)

Categoria: Médios

Na melhor luta da noite, Israel Adesanya (17-0-0) fez uma atuação brilhante ao derrotar um incansável Kelvin Gastelum (15-4-0) por decisão unânime. Gastelum foi melhor no primeiro round. Sua estratégia de encurtar a distância tem dado certo. Poucas vezes vimos Adesanya ser tão pressionado no octogono como nesse primeiro round. O nigeriano chegou a cair após receber um direto de Gastelum. Se o primeiro round foi de Gastelum, o segundo foi de Adesanya. O nigeriano conseguiu um bom knockdown e Gastelum pareceu mais cansado no final do round. Nos dois rounds seguintes o que se viu foi uma ligeira vantagem sempre para Adesanya, com um show de esquiva de ambas as partes. Foi, com certeza, a melhor luta da noite até o momento. No quarto round Gastelum se saiu melhor ao acertar bons golpes em Adesanya, que inclusive chegou a cambalear no final do assalto. No round final, o melhor da luta, Adesanya foi fenomenal. O nigeriano quase conseguiu finalizar Gastelum ainda em pé, com uma guilhotinha. Ao caírem, o nigeriano pegou o braço do americano, sem sucesso. Em pé, Adesanya impôs uma sequência de golpes contundentes em Gastelum, fazendo o cair diversas vezes.


Ao final, os arbitros deram vitória unânime (48-46, 48-26, 48-46) para Adesanya que se sagrou o campeão interino dos médios do UFC. Adesanya e Kamaru Usman agora são os dois únicos africanos a deterem um cinturão na história da organização.


Eryk Anders vs. Khalil Rountree Jr. (vencedor; decisão unânime)

Categoria: Meio-Pesado

Em uma atuação impecável, Khalil Rountree Jr. (8-3-0) venceu Eryk Anders (11-4-0) por decisão unânime. Rountree conseguiu um feito notável na luta, ao conseguir 4 knockdowns em um round apenas! Rountree Jr. fez um bom primeiro round. Seus chutes baixos fizeram sentir Anders, que diversas vezes acusou o golpe. Seus corners no intervalo pediram para que ele inclusive se defendesse dos chutes baixos. No segundo round, Rountree aplicou 4 incriveis knockdowns em Anders! Alguns analistas chegaram a marcar contagem no round de 10-7, o que seria uma goleada no futebol. No round final, Rountree continuou muito bem, aplicando bons chutes. Anders por outro lado foi mais ativo que o round anterior, mas não o suficiente para sair na frente no round.


Alan Jouban vs. Dwight Grant (vencedor; decisão dividida)

Categoria: Meio-Médio

Na primeira decisão dividida da noite (29-28, 27-30, 29-28), Dwight Grant (10-2-0) superou Alan Jouban (16-7-0). O começo de luta foi bastante empolgante. Jouban dominava o centro do octógono, mas Grant se mostrava perigoso no contra-golpe. O dois rounds seguintes a dinâmica foi a mesma, o que inclusive chegou a irritar a torcida que vaiou diversas vezes. Luta fraca, com certeza a pior da noite.


Ovince Saint Preux vs. Nikita Krylov (vencedor; finalização; 2R)

Categoria: Meio Pesado

Na primeira luta do card principal, Ovince Saint Preux (23-13-0) perdeu para Nikita Krylov (25-6-0) ao ser finalizado no segundo round. O round inicial foi bem parelho. Saint Preux buscou a queda todo momento, enquanto Krylov tentou a todo momento se defender das quedas. Essa foi a dinâmica de todo o round. No segundo round, o feitiço virou contra o feiticeiro. Dessa vez foi Krylov que derrubou Saint Preux e se aproveitando do cansaço do norte-americano o finalizou com um estrangulamento


Card Preliminar


Na primeira luta da noite, Brandon Davis (10-5-0) finalizou Randy Costa (4-1-0) no inicio do segundo round. A luta começou de forma bastante empolgante. O estreante no UFC Randy Costa começou partindo para cima, com diversos (bons) jabs. Brandon Davis não se acanhou e também teve seus momentos, no entanto Costa terminou o round em vantagem. Costa começou o round afoito, indo para cima de qualquer jeito. Davis se aproveitou e na primeira oportunidade finalizou Costa com um mata-leão ainda no começo do round! Luta bastante empolgante!


Estreante no UFC, Randy Costa havia feito 4 lutas como profissional não tendo passado mais de 2 minutos e meio no tempo total de luta dentro octogono! Parece um bom lutador, mas precisa ir menos afoito para a luta, focar mais no lado defensivo, que aparentemente é o seu fraco.


Na primeira luta feminina da noite, a brasileira Poliana Botelho (8-2-0) venceu por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28) a norte-americana Lauren Mueller (5-2-0). Botelho começou muito bem o primeiro round. Logo no inicio do round ela aplicou um bom chute na linha de cintura de Mueller fazendo a americana recuar. O round terminou com Botelho pressionando Mueller no clinch. O segundo round foi mais parelho, boa parte do round se transcorreu no clinch com Botelho tentando ajustar a posição. Ela inclusive chegou a ser acertada com alguns socos (e uma cotovelada) de Mueller. No entanto, a brasileira terminou na frente de novo. Sabendo da vantagem na luta, Botelho foi bastante conservadora no último round, amarrando a luta no clinch. No último minuto a americana conseguiu acertar bons golpes em Poliana, fazendo-a inclusive a cair no chão. Apesar de perder o round, a brasileira saiu vitoriosa.


Na terceira luta da noite, Montel Jackson (8-1-0) venceu Andre Soukhamthath (13-7-0) por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-26). De fato, foi uma vitória incontestável de Jackson que se saiu melhor nos três rounds, com superioridade seja parte em pé ou no chão.


Em mais uma luta terminada na decisão dos juízes, Belal Muhammad (15-3-0) venceu Curtis Millender (17-5-0) por decisão unânime (29-27, 29-27, 30-26). Millender se saiu melhor no primeiro round. No clinch, Muhammad conseguiu tirar a vantagem de Millender na luta. No final porém, Millender voltou a frente na luta com alguns bons golpes aplicados. Muhammad se saiu melhor no round seguinte, empatando a luta. No último round, Muhammad voltou a apostar nos takedowns e passou boa parte da luta sobre controle, dominando facilmente Millender no chão. Uma reviravolta, já que Muhammad havia perdido o primeiro round.


Na sequência uma luta relâmpago! Com apenas um cruzado de esquerda (e que cruzado!), Khalid Taha (13-2-0) nocauteou Boston Salmon (6-2-0)! Salmon caiu todo desorientado e com o pé virado, levando o arbitro a encerrar a luta, para a raiva de Salmon. Interrupção justa na nossa visão.


Em mais uma luta por decisão, Max Griffin (15-6-0) venceu Zelim Imadaev (8-1-0). Max Griffin começou muito bem, levando Zelim Imadaev e quase conseguindo uma finalização. Imadaev inclusive chegou a perder um ponto por segurar a grade. No final do round, o russo impôs um ritmo forte sob Griffin, mas a perda de ponto decidiu o round em favor de Griffin. Imadaev se saiu melhor nesse nos últimos dois round. Alias, durante toda a luta, enquanto o combate esteve em pé o russo se saiu melhor. Porém sempre faltou uma sequência a mais para Imadaev por fim a luta.


Em uma luta importante para a ameaçada categoria peso mosca, Alexandre Pantoja (21-3-0) derrotou Wilson Reis (23-10-0) com um direto de direita seguido de uma série de golpes contundentes, que levaram o arbitro a encerrar a luta! Reis havia iniciado bem o combate, tentando manter a luta no chão a todo custo, mas sem sucesso.


Na última luta do card preliminar, Matt Frevola (7-1-1) venceu Jalin Turner (8-5-0) por decisão unânime (30-27, 30-27, 30-27). O primeiro round foi bem dinâmico, com bons momentos para ambos os lados. Porém vimos maior vantagem para Matt Frevola que esteve por duas vezes próximo de finalizar a luta. Durante o segundo round houve um lance polêmico. Frevola, no chão, acertou um chute no rosto de Turner, também no chão. Turner sentiu o golpe porém o arbitro deve ter entendido como se houvesse um dedo no olho ou algo do tipo e portanto, Frevola não teve nenhum ponto descontado. No último round, Frevola se mostrou mais ativo.


Silvio Doria

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.