UFC 225: Covington recebe o cinturão dos meio-médios e luta do ano entre Whittaker e Romero

Atualizado: 24 de Ago de 2018

Os fãs de Chicago foram agraçiados com o melhor UFC do ano até agora. Vimos um card preliminar com card de card principal e com excelentes lutas. No card principal, também repleto de grandes lutas, vimos Colby Covington destilar seu veneno, porém agora com um cinturão dos meio-médios na cintura; e com certeza, a luta do ano, entre Robert Whittaker e Yoel Romero.

E para a surpresa de todos, ainda na arena de Chicago, o UFC anunciou que Ronda Rousey entrará para o Hall da Fama da organização. Primeira lutadora feminina do UFC, Ronda conquistou o cinturão da recém-criada divisão peso galo feminino e reinou por longos 3 anos, onde defendeu seu cinturão por 7 vezes, até ter sido derrotada por Holly Holm. A partir de então sua carreira no MMA entrou em decadência, mas sem dúvida foi (e será por muito tempo) a lutadora mais popular do UFC.



Robert Whittaker (vencedor; decisão dividida) vs. Yoel Romero

Robert Whittaker e Yoel Romero, com certeza, travaram uma das melhores lutas do ano. Nos primeiros rounds, Romero pouco se mexia, absorvia os golpes como se estivesse guardando seu gás para o momento certo. No entanto, logo no segundo round depois ter seu olho ferido (e praticamente fechado), Romero ficou mais ativo na luta, dando inicio a uma trocação franca entre ambos. A partir de então, por vários momentos Whittaker pareceu lutar pela sobrevivência.


Ao final, os arbitros deram a vitória (por decisão dividida; 48-47x2 47-48) para Robert Whittaker, que manteve seu cinturão. Essa foi a segunda vitória de Whittaker sobre Romero. Será dificil uma nova revanche entre ambos.


Luta polêmica, Romero não conseguiu bater o peso da divisão, foi dado o extra-time (de 2h) para ele e mesmo assim ele não conseguiu bater o peso (por 80 gramas apenas). Romero alegou que a Comissão Atlética o impediu de continuar com o corte de peso (deram-lhe apenas 1h). Por isso a luta não valeu o cinturão. Pela segunda vez consecutiva (a primeira vez foi contra Luke Rockhold), Romero foi perdeu a chance de conquistar o cinturão por conta de seu peso.


Rafael dos Anjos vs. Colby Covington (vencedor; decisão unânime)

RDA e Covington travaram uma luta bastante intensa e parelha. Logo no inicio do primeiro round ambos já entraram em um ritmo bastante forte. Todos os rounds foram dificeis de pontuar, poucos rounds foram de fato vitória clara de Covintgon. Então, quando a luta chegou ao anúncio de Bruce Buffer havia uma certa apreensão.


Para tristeza dos brasileiros, os arbitros deram a vitória para Colvington por decisão dividida (49-26, 48-47, 48-47). Com a vitória, o norte-americano se tornou o novo detentor do cinturão (interno) da divisão dos meio-médios. No octogono, Covington disse que pretende levar o cinturão para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.



Holly Holm (vencedora; decisão unânime) vs. Megan Anderson

Anderson começou o primeiro round bem, com uma boa trocação, mas aos poucos foi cedendo espaço para Holm que controlou mais a luta no clinch e no chão. Em seguida, mais um round para Holm, que conseguiu neutralizar Anderson em pé e principalmente no chão. Anderson quase não fez nada no segundo round. No terceiro e ultimo round mais dominio (total) de Holm. Ao final, os arbitros deram vitória por decisão unânime (39-27, 30-26, 30-26) para Holm. Megan Anderson não soube usar bem sua envergadura, no chão mostrou pouco conhecimento. É uma excelente lutadora, mas ainda tem o que melhorar. A experiência e o vigor físico de Holm acabaram pesando a seu favor.


Andrei Arlovski vs. Tai Tuivasa (vencedor; decisão unânime)

Luta bem parelha, com entrega de ambos os lados. O knock-down sofrido por Arlovski deixou esse round mais evidente (em favor de Tuivasa). Os rounds seguintes foram muito próximos. Vimos uma ligeira vantagem de Arlovski no segundo round, que pouco a pouco foi deixando evidente os danos em Tuivasa por conta de seus socos. No terceiro e último round vimos vitória de Arlovski, mas os arbitros poderiam dar também à Tuivasa, esse round, assim como o anterior, foi um round muito parelho. Ao final, os arbitros deram vitória para Tuivasa por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28).


CM Punk vs. Mike Jackson (vencedor; decisão unânime)

Jackson venceu o primeiro round, mas CM Punk até que não estava indo tão mal. A movimentação de CM Punk porém, ainda deixa transparecer seu amadorismo. Em sequência mais um round fácil para Jackson, que nem sequer se esforçava. Por diversas vezes ele parecia brincar com CM Punk. O terceiro round foi um replay do segundo: Jackson brincando com sua presa (CMPunk). CMPunk demonstrou coração, mas MMA não é seu lugar, definitivamente. UFC não é um lugar para amadores. Ao final, os arbitros deram vitória por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-26) a Mike Jackson.


Card Preliminar

Na primeira luta do card preliminar, Dan Ige (atleta revelado no Dana White's Tuesday Night Contender Series 3) passou o trator em Mike Santiago! Depois sequência de socos que chegou a derrubar Santiago, Ige no chão, por cima, iniciou outra sequência de golpes levando a arbitro a encerrar a luta. Nocaute técnico para Mike Santiago em apenas 50 segundos de luta.


Na luta seguinte, outra rápida luta. Depois de uma boa trocação com Clay Guida, chegando até a fazer o atleta da casa a sangrar, Charles Oliveira, se defendeu de uma queda e conseguiu derrubar Guida, finalizando-o com uma guilhotina no primeiro round. Com essa finalização Charles igualou o recorde de finalizações de Royce Grace no UFC.


Na sequência, outra boa luta (entre Sergio Pettis e Joseph Benavidez). Pettis começou bem o primeiro round, conectando dois bons golpes que chegaram até a desorientar Benavidez. Benavidez porem se recuperou, levando Pettis ao chão. O round seguinte foi bem mais equilibrado. Com uma ligeira vantagem de Benavidez na trocação e no controle do clinch. O terceiro round foi bem parecido com o segundo: equilibrado mas com ligeira vantagem para Benavidez. Benavidez procurou mais a luta. Mais confiante no segundo e terceiro round chegou até a se soltar um pouco, arriscando chutes altos. Ao final, os arbitros de mesa deram uma vitória por decisão dividia (29-28, 28-29, 30-27) para Sergio Pettis. No twitter, bastante indignação com o 30-27.


Outra luta relâmpago (Rashad Evans vs. Anthony Smith). No clinch, Anthony Smith acertou uma joelhada certeira na cabeça de Rashad Evans, levando-o a nocaute em 53 segundos! Rashad não comentou nada a respeito de uma possível aposentadoria, mas certamente deve vir logo. Rashad ja acumula cinco derrotas consecutivas no UFC.


Na luta dos peso pesados (entre Rashad Coulter e Chris de La Rocha) vimos uma trocação franca entre os dois no primeiro round. Dificil explicar como nenhum dos dois entregou o pote de ouro até o momento. La Rocha parece ter sofrido mais danos, mas Coulter terminou o primeiro round totalmente sem gás. O segundo round foi de total dominio de De La Rocha. Coulter entrou para o round totalmente sem gás. Boa parte do round se deu com La Rocha no chão e por cima desferindo golpes e buscando finalizar. Ficaria assim por todo o round se Mark Goddard, o arbitro, não encerra-se a luta, dando vitória por nocaute técnico para De La Rocha.


Em seguida, Ricardo Lamas enfrentou Mirsad Bektic. No primeiro round Bektic conseguiu mostrar um maior volume de jogo, derrubou, ficou mais tempo no controle no clinch... No segundo round, Ligeira vantagem para Bektic de novo. Terceiro round começou como o segundo, com Bektic amarrando a luta e neutralizando Lamas. Porém, a partir dos 2min do terceiro round, Lamas conseguiu se sair melhor, tentando inclusive diversas guilhotinas. Ao final, decisão dividida para Mirsad Bektic (29-28, 28-29, 30-27).


Em uma das lutas mais esperadas da noite, Claudia Gadelha enfrentou Carla Esparza. Havia uma rixa antiga entre as duas. Anos atrás, ainda no Invicta, Gadelha teve que abandonar duas lutas em cima da hora por contade por problemas médicos o que gerou uma trocas de acusações entre as duas.


O primeiro round foi Sensacional. Gadelha vinha conectando bons golpes, se defendendo bem das tentativas de queda de Esparza até que ela foi atingida com um soco e chegou a cambalear. Ainda com esse pequeno revés, Gadelha levou vantagem no primeiro round. No finzinho do round, Gadelha encaixou uma boa guilhotina, mas Esparza foi salva pelo gongo. Mais alguns segundos e muito provavelmente ela teria sido finalizada. No segundo round, Gadelha continuou na frente, mas foi um round bem apertado. Esparza mostrou um maior volume de jogos, soltando jabs a todo momento. Por outro lado, Gadelha mostrou mais superioridade no chão. No terceiro round, Esparza continuou impondo um bom volume de jogo, com vários socos, alguns conectando, outros sem efetividade, mas que aos poucos foram causando alguns danos no rosto de Gadelha. Esse foi um round mais claro, com vantagem para Esparza. Ao final, os arbitros deram vitória para Claudia Gadelha por decisão dividia (29-28, 28-29, 29-28). Foi um resultado bem polêmico. A torcida não gostou nem um pouco.


Na ultima luta do card preliminar, Alistair Overeem enfrentou Curtis Blaydes. O primeiro round foi de muito estudo de ambas as partes. Blaydes saiu na vantagem por ter conseguido derrubar e desenvolver mais seu jogo no chão. Já no segundo round Blaydes conseguiu derrubar Overeem 2x mas no chão se mostrou pouco efetivo. Overeem encerrou o round com mais tentativas de finalização e golpes desferidos. O último round terminou de maneira surpreendente. Blaydes chegou a trocar com Overeem, mas logo botou a luta pra baixo. No chão, encaixou cotoveladas brutais sobre Overeem, que ficou com cortes profundos na testa. Vitória por nocaute técnico para Blaydes.


Silvio Doria

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.