Bellator 201: Ilima-Lei MacFarlane mantêm cinturão dos moscas (fem) e já tem uma possível desafiante

Atualizado: 24 de Ago de 2018

Na noite de sexta-feira, 29, ocorreu em Pechanga Resort and Casino em Temecula, California (Estados Unidos) o Bellator 201. Na última e principal luta da noite, a norte-americana Ilima-Lei MacFarlane fez sua primeira (e bem sucedida) defesa de cinturão dos moscas (feminino) contra a colombiana Alejandra Lara. Também pela mesma divisão lutaram Valerie Letourneau (vencedora; decisão unânime) e Kristina Williams, abrindo caminho para uma nova desafiante do cinturão de MacFarlane.


Agora as atenções do Bellator se voltam para o dia 13 de julho, quando Julia Budd defende o cinturão dos penas (feminino) contra a brasileira Talita Nogueira. A luta ocorre pelo Bellator 202 em Thackerville, Oklahoma (Estados Unidos).


CARD PRINCIPAL


Ilima-Lei MacFarlane (vencedora; finalização; R3) vs. Alejandra Lara

Defesa de Cinturão (Ilima-Lei MacFarlane)

Categoria Mosca (Feminino)

A luta iniciou com um bom primeiro round. MacFarlane já iniciou seu jogo de chão, derrubando Lara. Em seguida tentou por quase um minuto um triângulo, sem sucesso. Lara por outro lado, conseguiu se defender bem e nos minutos finais do round conseguiu ficar por cima no chão, mas sem grande efetividade. O segundo round foi bem parecido, depois de uma rapida trocação, MacFarlane partiu para a queda, a partir de então vimos a campeã buscando uma finalização e a desafiante fazendo uma boa defesa. No round seguinte a dinâmica foi parecida com a dos dois primeiros rounds, só que dessa vez MacFarlane conseguiu uma boa posição no chão (montada), o que permitiu uma bem aplicada chave-de-braço. Lara não teve outra opção se não o tap-out.


Ilima-Lei MacFarlane saiu da luta da mesma forma que entrou, detentora do cinturão dos moscas feminino. Em entrevista ainda no octógono a atual detentora do cinturão aceitou uma possível luta contra Valerie Letourneau, que mesmo com um nariz quebrado e diversos hematomas, assistia a luta na primeira fileira.



Saad Awad (vencedor; nocaute técnico; R1) vs. Ryan Couture

Categoria dos Leves

No co-main event da noite, Saad Awad enfrentou Ryan Couture, filho de Randy Couture, lenda do UFC. Foi uma luta rapida, encerrada ainda no primeiro round por conta de um nocaute técnico de Awad. Awad já vinha em vantagem no round, mas no minuto final aumentou o ritmo sobre Couture, que começou a dar sinais de dor ao levar os golpes de Awad. Jason Herzog, o árbitro encerrou a luta após Couture cair no chão aparentemente indefeso aos golpes contundentes de Awad.



Valerie Letourneau (vencedora; decisão unânime) vs. Kristina Williams

Categoria Mosca (Feminino)

Na primeira luta feminina do card principal, Valerie Letourneau venceu Kristina Williams por decisão unânime dos árbitros. Letourneau começou bem o primeiro round, aplicando dois bons knock-downs em Williams, que rapidamente se recuperou de ambos. O round seguinte foi um pouco mais parelho. Ambas, por diversas vezes, entraram uma trocação franca, mas no geral Williams se saiu melhor (apesar de visualmente estar mais castiga pelo socos em seu rosto no final do round). No intervalo do round, o coach de Williams pediu mais agressividade por parte de sua lutadora e foi isso que vimos logo no inicio do último round. Letourneau no entanto, mais experiente, soube acalmar o ritmo da luta, quedou Williams e deu inicio a um jogo amarrão no chão até Rob Madrigal, o arbitro interromper e voltar com a luta de pé, mas aí já faltava menos de um minuto para o fim do round. Williams acabou não conseguindo desenvolver seu jogo em pé.


Juan Archuleta (vencedor; nocaute; R3) vs. Robbie Peralta

Categoria Pena

O primeiro round começou com Juan Archuleta impondo um ritmo forte sobre Robbie Peralta. Mostrando maior disposição e versatilidade, Archuleta tentou derrubar (com sucesso), trocar e até desferir joelhadas voadoras (das três apenas uma acertou em cheio Peralta). Aparentemente calmo, Peralta conseguiu sobreviver e até a dominar o centro do ocótogno, o que ele não conseguiu foi impedir a derrota no round inicial, claramente a favor de Archuleta. No segundo round a luta ficou morna, sem grandes emoções, mas com o mesmo resultado. Anotamos um 10-9 (20-18) para Archuleta no segundo round.


No terceiro e último round, nos minutos iniciais, Archuleta acertou um poderoso mata-cobra que acertou em cheio o queixo de Peralta, levando-o a nocaute. Em entrevista ainda no octógono, Archuleta atribuiu a vitória ao seu time de peso. Em seu corner estavam Joe "Daddy" Stevenson, Cub Swanson e T.J. Dillashaw. Além disso, nos bastidores um preparador físico acompanhava de perto os batimentos cardíacos e outras métricas de Archuleta.


Silvio Dória

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.