O card do UFC on ESPN: Whittaker vs. Gastelum (UFC on ESPN 22 ou UFC Vegas 24) certamente não foi o mais empolgante evento do ano. Das 10 lutas, apenas 1 não terminou na decisão dos árbitros. Porém, para os fãs que esperaram pacientemente, a luta principal do card, entre Robert Whittaker e Kelvin Gastelum foi empolgante. Além disso, no mesmo momento em que ocorria o UFC Vegas 24, havia outro evento de lutas (luta de boxe entre Jake Paul e Ben Askren) disputando a atenção dos fãs.


O destaque negativo do evento, além das lutas pouco empolgantes, foi o cancelamento de última hora do co-main event, entre Jeremy Stephens e Drakkar Klose. Um dia antes, na pesagem cerimonial, Stephens e Drakkar se estranharam durante a pesagem. Stephens emperrou Drakkar durante a encarada, mas logo eles foram separados. Um dia depois, foi anunciado oficialmente que Drakkar teria que se retirar da luta por conta de uma lesão (aparentemente em seu pé). Até a divulgação deste post, o UFC não se manifestou oficialmente a respeito de uma eventual punição. Jeremy Stephens já vinha de uma sequência bastante irregular na organização, sem vencer desde fevereiro de 2018 quando ele derrotou Josh Emmett por nocaute no UFC on Fox 28. Desde então foi derrotado por Jose Aldo (por nocaute técnico), Zabit Magomesharipov (decisão unânime), e Yair Rodriguez (um no-contest seguido de uma derrota por decisão unânime) e Calvin Kattar (nocaute).


Durante a transmissão oficial, o UFC divulgou os dois coaches do TUF 29: Alex Volkanovski e Brian Ortega. Eles treinarão lutadores de duas categorias diferentes (galos e médios). O cast das duas divisões também já foi divulgado.

Card principal


Robert Whittaker vs. Kelvin Gastelum

Categoria: Médio

Robert Whittaker vence Kelvin Gastelum por decisão unânime (50-45, 50-45, 50-45)

Na melhor luta da noite, Robert Whittaker (26-5-0) venceu Kelvin Gastelum (16-7-0) por decisão unânime (50-45, 50-45, 50-45).


Apesar de Gastelum pressionar mais Whittaker no inicio do round, foi ele quem levou os golpes mais contundentes no primeiro round. Não chão, Whittaker foi igualmente superior. Whittaker continuou melhor no segundo round, mostrando mais acurácia nos golpes. Gastelum novamente foi mais agressivo no round, mas menos efetivo na trocação. No terceiro round, Gastelum foi ligeiramente melhor no início do round, mostrando um maior volume de golpes, mas pouco a pouco Whittaker foi se destacando, finalizando o round em vantagem na trocação. Gastelum manteve a iniciativa no quarto round, chegando a parecer até menos cansado. Mas Whittaker mostrou bastante velocidade nos golpes, parecendo sempre estar um passo a frente de Gastelum. No round final ambos pareciam bastante inteiros, sobretudo Gastelum. Impressionante o condicionamento de Gastelum, ele foi atrás da luta em todos os rounds e chegou inteiro no round final. Whittaker manteve o controle de luta também no round final, sem sofrer grande pressão comparado aos rounds anteriores.


A luta entre ambos deveria ter acontecido em fevereiro de 2019, no UFC 234, em Melbourne, quando Whittaker ainda era o campeão, mas o australiano foi diagnosticado com uma hérnia no abdômen e a luta acabou sendo cancelada.


Andrei Arlovski vs. Chase Sherman

Categoria: Pesado


Em uma luta pouco empolgante, Andrei Arlovski (31-20-0) venceu Chase Sherman (15-7-0) por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28).

O round inicial foi bastante apertado, com uma ligeira vantagem para Sherman, que no final do round conseguiu acerta alguns golpes com maior contundência em Arlovski. O segundo round foi ainda mais equilibrado, ambos apresentaram um maior volume de golpes, mas sem grande contundência. No round final, ambos mantiveram o ritmo morno da luta, com uma trocação de golpes pouco intensa.


Abdul Razak Alhassan vs. Jacob Malkoun

Categoria: Médio

Em uma luta pouco empolgante, Jacob Malkoun (5-1-0) superou Abdul Razak Alhassan (10-4-0) sem grande dificuldade.

Espertamente, Malkoun começou a luta levando Alhassan para o chão, como forma de evitar sua poderosa trocação. Essa foi a tônica do round. A estratégia de Malkoun foi cansar Alhassan para o segundo round, reduzindo assim seu poder de knockout. Malkoun continuou melhor no segundo round, novamente anulando o temido jogo em pé de Alhassan. O round final foi um replay dos anteriores. Malkoun continuou apostando em uma luta mais amarrada, a fim de evitar trocar com Alhassan e teve sucesso em sua estratégia.


Tracy Cortez vs. Justine Kish

Categoria: Mosca (Feminino)


Em uma luta apertada, Tracy Cortez (9-1-0) venceu Justine Kish (7-4-0) por decisão dividida (29-28, 28-29, 30-27) em uma luta bastante equilibrada.


Justine começou o round mais agressiva, mas Cortez conseguiu igualar a luta ao derrubar Justine. No chão, Cortez conseguiu desferir uma série de golpes contundentes em Justine. Em boa parte do round Cortez esteve por cima, em posição dominante. Cortez iniciou o segundo round melhor, levando novamente a luta para o chão. Porém, quando a luta voltou para a trocação em pé, Justine conseguiu se sair bem, equilibrando o round. No round final, Justine começou melhor (em pé), mas novamente, com a luta indo para o chão Cortez foi superior. Próximo do minuto final, Justine conseguiu um knockdown que certamente definiu o round em seu favor.


Luis Pena vs. Alexander Munoz

Categoria: Leve


Pela primeira luta da noite, Luis Pena (9-3-0) venceu Alexander Munoz (6-2-0) por decisão dividida 28-29, 29-28, 29-28), um resultado controverso em nossa visão.


O round inicial foi bastante equilibrado. Pena começou melhor na trocação, usando a vantagem de sua envergadura e versatilidade de golpes. Mas do meio para o final do round Munoz passou a tomar a iniciativa dos ataques, acertando jabs em Pena, virando o round em seu favor. Munhoz manteve sua superioridade no segundo round, mostrando superioridade em todos os quesitos: volume de golpes, contundência, quedas… Mesmo atrás na pontuação, Pena se mostrou mais confiante no round final, o que se refletiu em sua versatilidade de golpes. Pena certamente foi superior no round, mas não o suficiente para levar a luta.

Por Silvio e Flavio Doria

Em um card principal marcado por diversos nocautes, o destaque do UFC 260 foi sem dúvida a atuação impecável de Francis Ngannou (16-3-0). Confirmando o favoritismo, Ngannou venceu Stipe Miocic (20-4-0) por nocaute no início do segundo round e assumiu o cinturão dos pesados do UFC. A performance de Ngannou foi bastante elogiada. O camaronês mostrou não só mais maturidade desde sua última luta contra Miocic, mas também uma estratégia de combate nova, com chutes e tentativas de queda. Essas novas armas, somada ao seu poder de nocaute podem torna-lo o detentor do cinturão por um bom tempo em nossa visão. Na segunda principal luta da noite, Vicente Luque (20–7-1) também mostrou seu valor ao vencer praticamente de virada Tyron Woodley (19-7-1) em uma luta curta, porém empolgante.


Outra atuação brilhante que merece menção foi de Sean O’Malley (13-1-0), que superou o brasileiro, Thomas Almeida (22-5-0) ao vencê-lo por nocaute. O’Malley conseguiu mostrar que seu último tropeço, contra Marlon Vera (no UFC 252) foi apenas um ponto fora da curva. Com essa atuação contundente, O’Malley ainda se mostra como um nome perigoso em sua divisão.

Card principal

Stipe Miocic vs. Francis Ngannou

Categoria: Pesado

Francis Ngannou (16-3-0) vence Stipe Miocic (20-4-0) por nocaute no 2R

Confirmando o favoritismo, Francis Ngannou (16-3-0) venceu Stipe Miocic (20-4-0) por nocaute no início do segundo round e assumiu o cinturão dos pesados do UFC. A performance de Ngannou foi bastante elogiada. O camaronês mostrou não só mais maturidade desde sua última luta contra Miocic, mas também uma estratégia de combate nova, com chutes e tentativas de queda. Essas novas armas, somada ao seu poder de nocaute podem torna-lo o detentor do cinturão por um bom tempo em nossa visão.

Ngannou foi bastante agressivo não round inicial, chegou até a tentar derrubar Miocic no meio do round, após iniciar uma sequência de golpes contundentes. Chamou a atenção a capacidade de absorção dos golpes de Ngannou por Miocic. No segundo round, Ngannou conseguiu conectar um cruzado de esquerda que levou Miocic a balançar, logo na sequência ele iniciou uma sequência de golpes contundentes que levaram Miocic a nocaute, brutal diga-se de passagem.


Tyron Woodley vs. Vicente Luque

Categoria: Meio-Médio


Em uma luta sensacional, Vicente Luque (20–7-1) venceu praticamente de virada Tyron Woodley (19-7-1) ainda no primeiro round. A vitória veio por uma das especialidades de Luque, seu jogo de chão.

Woodley surpreendeu ao começar a luta logo em uma trocação rápida. Ha dois minutos do fim, Woodley acertou um poderoso golpe em Luque que revidou e quase levou Woodley a nocaute. Woodley chegou a balançar e pareceu nocauteado mesmo em pé. Logo na sequência, o brasileiro levou Woodley para o chão e o finalizou por meio ode um estrangulamento.


Sean O’Malley vs. Thomas Almeida

Categoria: Galo

Sean O’Malley (13-1-0) vence Thomas Almeida (22-5-0) por nocaute no 3R

Em uma performance dominante, Sean O’Malley (13-1-0) superou o brasileiro, Thomas Almeida (22-5-0) ao vencê-lo por nocaute. Agora, Almeida acumula quatro derrotas consecutivas na organização.

O’Malley impôs um ritmo muito forte sobre Almeida no final do 1R. Após um chute rodado muito bem conectado, O’Malley acertou um direto que levou o brasileiro a knock-down. A partir de então O’Malley sentiu o cheiro de sangue e começou a dominar a luta. O’Malley continuou a frente no segundo round, utilizando bem sua envergadura e seus chutes baixos, na altura do joelho do brasileiro, para mante-lo afastado. O’Malley continuou melhor no terceiro round. Na parte final do round, após jogar o brasileiro no chão, O’Malley o acertou com um poderoso golpe levando o fim imediato da luta.


Gillian Robertson vs. Miranda Maverick

Categoria: Mosca


Em uma luta de três rounds completos, Miranda Maverick (9-2-0) venceu Gillian Robertson (9-6-0) por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28).


Maverick foi claramente superior no primeiro round, sempre partindo para cima e bastante ativa na trocação, embora não tenha mostrado tanta contundência nos golpes. Robertson se saiu melhor no segundo round ao impor sua especialidade, o jogo de chão. Por outro lado, Maverick se defendeu muito bem no chão. Nos segundos finais ainda chegou a pressionar Robertson em pé. Maverick voltou a dominar a luta no round final, o mais dinâmico. A canadense se saiu melhor não só em pé, mas também no chão.


Jamie Mullarkey vs. Khama Worthy

Categoria: Leve

Em uma luta rápida (45 segundos), Jamie Mullarkey (13-4-0) nocauteou Khama Worthy (16-8-0) com um direto de esquerda logo no minuto inicial da luta. Após acertar o golpe, Mullarkey ainda conseguiu atingir Worthy com uma sequência de golpes contundentes para garantir o resultado.

Por Silvio e Flavio Doria

Com um card reduzido por conta de uma baixa por conta do Covid-19 e outra por problemas médicos durante a pesagem, o UFC Vegas 22 conseguiu entregar boas horas de emoção aos fãs.


Na principal luta do evento, Derek Brunson (22-7-0) venceu Kevin Holland (21-6-0) por decisão unânime (49-45, 49-46x2). Holland provocou Brunson ao longo de toda a luta, tentando desestabiliza-lo, mas sem sucesso. Em momento algum Brunson chegou a cair na armadilha de Holland e no final da luta ainda pareceu incomodado com as provocações.


Na segunda luta da noite, com pouco mais de 2 minutos, Max Griffin (17-8-0) nocauteou de forma brutal Song Kenan (16-6-0). Porém, o nocaute em destaque no card principal foi de Tai Tuivasa. Com apenas 49 segundos de luta, Tai Tuivasa (12-3-0) nocauteou Harry Hunsucker (7-4-0). Tuivasa começou a luta desferindo alguns poderosos chutes baixos (na altura das pernas) de Hunsucker. Após feri-lo com os chutes, Tuivasa conseguiu acerta-lo com um poderoso golpe de direita seguido de mais alguns golpes contundentes, que o leram a nocaute.


Card Principal


Derek Brunson vs. Kevin Holland

Categoria: Médios

Derek Brunson vence Kevin Holland por decisão unânime (49-45, 49-46x2)

Em uma luta dominante, Derek Brunson (22-7-0) venceu Kevin Holland (21-6-0) por decisão unânime (49-45, 49-46x2).


No inicio do round, Holland escorregou e Brunson aproveitou o momento para partir para o ataque. No chão, Brunson se manteve no controle até o final do round, porém sem grande contundência. Chamou atenção o fato de mesmo por baixo, Holland provocava Brunson a todo o momento… No intervalo do round, Holland ignorou seus cocais e começou a brincar com Khabib que assistia a luta ao lado de Dana White. No segundo round, em meio a suas brincadeiras no octógono, Holland chegou a acertar diversos golpes contundentes em Brunson, ficando muito próximo do fim da luta, mas Brunson conseguiu se recuperar ao levar a luta para o chão. Brunson buscou levar a luta novamente ao chão novamente no terceiro round, e com sucesso. Apesar da pouca contundência, Brunson garantiu a pontuação do round a seu favor. Em parte do quarto round, Holland esteve melhor (em pé, quando chegou a desferir bons golpes contundentes). A outra metade, Brunson foi superior (novamente no chão). No round final, Holland se saiu melhor, conseguindo derrubar Brunson, e mantendo-se ativo mesmo no chão, ao contrário de Brunson nos rounds anteriores.


Song Kenan vs. Max Griffin

Categoria: Meio-Médio


Em uma luta rápida, Max Griffin (17-8-0) nocauteou Song Kenan (16-6-0) ainda no primeiro round. A luta estava bem parelha, até que Griffin acertou um direto de direita que fez Song recuar e cambalear. Esse foi o sinal para Griffin partir para cima com uma sequência de golpes contundentes que levaram Song ao nocaute.

Cheyanne Buys vs. Montserrat Conejo

Categoria: Palha


Em uma luta de três rounds completos, Montserrat Conejo (10-1-0) venceu Cheyanne Buys (5-2-0) por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-27)

Conejo permaneceu boa parte do primeiro round no chão, imobilizando Cheyanne e desferindo alguns socos sem grande contundência. O segundo round foi muito parecido com o anterior. Conejo foi dominante no chão em boa parte do round, mas novamente sem contundência alguma. No round final boa parte da luta se transcorreu em pé. Cheyanne se saiu melhor, mostrando um volume maior de golpes. Porém, a partir do momento em que Conejo se viu pressionada ela buscou a luta no chão onde esteve melhor durante a luta.


Nos segundos finais do terceiro round, Cheyanne e Conejo chegaram a trocar golpes de forma mais intensa no chão e após o gongo soar Conejo chegou a falar algo a Cheyanne e ambas chegaram a se estranhar e trocar alguns xingamentos.


Adrian Yanez vs. Gustavo Lopez

Categoria: Galo

Adrian Yanez vence Gustavo Lopez por nocaute no 3R

Por nocaute, Adrian Yanez (13-3-0) venceu Gustavo Lopez (12-6-0) no round final.


O primeiro round foi bastante equilibrado, com uma ligeira vantagem para Yanez. Lopez estava melhor até que no minuto final Yanez conseguiu acertar dois bons golpes em Lopez, que claramente acusou-os. Yanez continuou melhor no segundo round. Yanes mostrou mais contundência, chegando até a conseguir um knock-down no inicio do round. Logo no inicio do round, Yanez conseguiu o já esperado nocaute com um poderoso golpe de direita quando ambos partiram para uma trocação franca.


Tai Tuivasa vs. Harry Hunsucker

Categoria: Pesado


Em uma luta rapida (menos de 1 minuto de luta!), Tai Tuivasa (12-3-0) venceu Harry Hunsucker (7-4-0) por nocaute técnico. Tuivasa começou a luta desferindo alguns poderosos chutes baixos (na altura das pernas) de Hunsucker. Após feri-lo com os chutes, Tuivasa conseguiu acerta-lo com um poderoso golpe de direita seguido de mais alguns golpes contundentes.

Por Silvio e Flavio Doria

Pós-Luta / Post-Fight

Nosso objetivo é trazer a nossos leitores reportagens e análises de qualidade, além de coberturas play-by-play de eventos do mundo do MMA e do Boxe. Trabalho desenvolvido por Silvio e Flavio Doria (registro de jornalistas: MTB 0082740/SP e MTB 0080216/SP, respectivamente), ambos membros da MMA Journalists Association. 

PosLuta.com | Copyright © 2019 | Todos os direitos reservados.