Repleto de baixas inesperadas, o card principal do UFC Vegas 33 (UFC on ESPN: Hall vs. Strickland ou UFC on ESPN 28) manteve seu dinamismo, com boas lutas e nocautes. Das cinco lutas do card principal, duas terminaram ainda no primeiro round, uma no segundo e apenas duas foram para a decisão dos juízes.


Sem surpresa, a luta entre Uriah Hall e Sean Strickland fizeram um combate bastante empolgante, mas foi o duelo entre Bryan Barberena e Jason Witt, que levou o bônus de melhor luta da noite. Mas quem roubou a cena deste sábado de lutas foi o evento concorrente, o Bellator. Com uma final de GP (dos penas) sendo representada por um brasileiro, Patrício Pitbull, atual campeão peso-pena e leve da organização, e mais três brasileiros (Vanessa Porto, Ilara Joanne e Goiti Yamauchi), o evento acabou ficando com os holofotes, não só da mídia especializada no Brasil, mas também nos EUA.


Cancelamentos: A luta do peso galo entre Kyung Ho Kang e Rani Yahya, o co-main event da noite teve que ser cancelada horas antes do evento devido ao teste positivo de Yahya para COVID-19. Outro cancelamento inesperado, levando a outro cancelamento, foi de Nicco Montaño. Na pesagem, a ex-campeão peso mosca feminino do UFC Nicco Montaño (também vencedora do The Ultimate Fighter pela até então inédita divisão mosca). Montaño pesou 64kg, ~3kg acima do limite da divisão. Portanto, sua luta contra Wu Yanan foi cancelada devido à esta discrepância de peso.


Card principal

Uriah Hall vs. Sean Strickland

Categoria: Médios

Sean Strickland vence Uriah Hall por decisão unânime (50-44, 50-45, 49-46)
Sean Strickland vence Uriah Hall por decisão unânime (50-44, 50-45, 49-46)

Fazendo a luta principal do UFC Vegas 33, Sean Strickland (24-3-0) e Uriah Hall (18-10-0) fizeram uma batalha de cinco rounds completos. Ao final, Strickland saiu com o braço erguido ao vencer Hall por decisão unânime (50-44, 50-45, 49-46).

O round inicial foi bastante equilibrado, com uma ligeira vantagem para Strickland em nossa visão, por ter conectado mais golpes em Hall. Do meio do round para o final, Strickland foi dominante, enquanto Hall apenas recuava e levava os golpes. O segundo round não foi tão diferente do anterior. Strickland continuou na frente por conta do maior volume de golpes. No minuto final, pesou a favor de Hall o fato de ele parar de recuar, avançando mais sobre Strickland, mas nada que ameaçasse sua liderança no round. A vantagem de Strickland se ampliou no terceiro round. Em um determinado momento, Strickland esteve muito próximo de vencer a luta por nocaute técnico, mas Hall conseguiu se defender bem dos golpes sofridos. No final do quarto round, mais uma vez Strickland de finalizar a luta após uma sequência de golpes contundentes, mas Hall resistiu bravamente. Mesmo mais cansado e ferido, Hall continuou indo para cima no round. O round final foi um resumo de toda a luta. Uma trocação franca de ambos os lados, com vantagem para Strickland, superior em volume de golpes desferidos. Strickland também pareceu com o condicionamento fisico melhor, chegando até o final do round aparentemente pouco cansado (e sem sinais de dados sofridos).


Cheyanne Buys vs. Gloria de Paula

Categoria: Palha (feminino)


Em outra luta relâmpago, Cheyanne Buys (6-2-0) venceu a brasileira Gloria de Paula (5-4-0) por nocaute técnico em menos de 1 min. Após um chute alto brutal, a brasileira caiu desorientada no chão, abrindo espaço para uma sequência de golpes contundentes de Cheyanne, levando ao fim da luta.


Jared Gooden vs. Niklas Stolze

Categoria: Médios


Luta relâmpago! Com apenas 69 segundos de luta, Jared Gooden (18-6-0) nocauteia Niklas Stolze (12-5-0), conseguindo sua primeira vitória no UFC.


Melsik Baghdasaryan vs. Collin Anglin

Categoria: Pena


Em sua estreia no UFC, Melsik Baghdasaryan (6-1-0), atleta do antigo time de Ronda Rousey, venceu de forma contundente Collin Anglin (8-2-0) por nocaute técnico no segundo round.


O round inicial foi bastante movimentado. Baghdasaryan começou agressivo nas trocações, mas logo Anglin começou a se sobressair com seu Thai boxe, mas Baghdasaryan foi superior em nossa visão, mostrando um maior volume de golpes, inclusive contundentes. No segundo round, a contundência dos golpes de Baghdasaryan deram resultado. Um poderoso chute alto, próximo da orelha, derrubou Anglin, que foi atacado na sequência por uma série de golpes contundentes levando o fim da luta, para a alegria do seu time de Glendale.


Bryan Barberena vs. Jason Witt

Categoria: Médios


Pela primeira luta do card principal do UFC Vegas 33, Jason Witt (19–7-0) venceu Bryan Barberena (15-8-0) por decisão unânime (28-28, 29-27, 29-28) em uma luta empolgante.


Witt fez um primeiro round melhor, anulando Barberena em boa parte do round. No minuto final, quando a luta foi para a trocação em pé Barerena pareceu ligeiramente melhor, mas Witt levou o round em nossa visão. No segundo round, apesar de estar melhor na trocação, foi Barberena (@bryan_barberena) que levou não só um, mas dois knockdowns de Witt! No final do round Witt ainda conseguiu aplicar uma boa guilhotina, mas sem sucesso. Barberena fez um excelente round, por diversas vezes quase chegando a nocautear Witt!


Por Silvio e Flavio Doria


Em um evento para entrar para a história, Conor McGregor perdeu para Dustin Poirier de um jeito inesperado. Ainda no primeiro round, McGregor quebrou o tornozelo de forma semelhante à lesão sofrida por Anderson Silva e Chris Weidman. Na segunda principal luta da noite, em uma "luta de xadrez" o brasileiro Gilbert Burns, o Durinho, venceu Stephan Thompson por decisão unânime (29-28x3).


Dustin Poirier vs. Conor McGregor

Categoria: Leve

Em uma luta para entrar para história, Conor McGregor (22-6-0) quebrou o tornozelo em uma cena parecida com Anderson Silva, o que levou a vitória à Dustin Poirier (28-6-0), que manteve seu cinturão dos leves.

Conor começou bem o round inicial. Em seu melhor momento, ele quase encaixou uma guilhotina em Poirier. Após perder a chance de finaliza-lo, Conor ainda conseguiu uma boa sequência de cotoveladas. No minuto final, Conor foi bastante pressionado no chão. Quando levantou, algo incrível aconteceu.


Gilbert Burns vs. Stephen Thompson

Categoria: Meio-Médio

Em uma luta de três rounds completos, Gilbert Burns (20-4-0) venceu Stephen Thompson (16-5-1) por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28).

Fugindo do combate corpo a corpo, Durinho tentou levar a luta para o chão, tendo sucesso apenas no final do round. No chão, Durinho fez um bom trabalho dominando Thompson, e pontuando em alguns momentos. O segundo round foi bastante parecido com o anterior, com pouco ataque de ambos os lados. Thompson não parecia ter pressa em contra-atacar, e por outro lado, Durinho também arriscou pouco, buscando o jogo de chão apenas no final do round assim como no primeiro round. No começo do round final até houve uma trocação mais franca entre os dois, com Thompson levando a melhor (por conta de um chute alto). Porém, Durinho levou a luta para o chão onde manteve sua vantagem. Não foi uma luta bonita de se ver, mas Durinho foi esperto em fugir da trocação.


Tai Tuivasa vs. Greg Hardy

Categoria: Pesado

Em uma luta relâmpago, Tai Tuivasa (12-3-0) nocauteou Greg Hardy (7-4-0) ainda no primeiro round. Tuivasa estava bem na luta, acertando poderosos chutes em Hardy. Até que, após ser atingido por um duro golpe Tuivasa contra-atacou ainda cambaleando e nocauteou Hardy em um golpe de sorte!


Irene Aldana vs. Yana Kunitskaya

Categoria: Galo (Feminino)

Em uma luta de apenas um round, Irene Aldana (13-6-0) venceu Yana Kunitskaya (14-6-0) por nocaute técnico.


Kunitskaya começou o round inicial bastante agressiva, com boas sequências de golpes e partindo para cima de forma intensa. No entanto, Aldana foi mais efetiva. Com poucos golpes, porém contundentes, Aldana se saiu melhor no round, conseguindo até um knock-down. Nos minutos finais, após derrubar Kunitskaya, Aldana impôs uma série de golpes contundentes que levaram ao fim da luta por nocaute técnico.


Sean O’Malley vs. Kris Moutinho

Categoria: Galo

Em uma luta polêmica, Herb Dean encerrou a luta no terceiro round após um castigo sofrido por Moutinho, dando a luta para Sean O’Malley (14-1-0) por nocaute técnico.


O’Malley pareceu muito confiante logo no início da luta, chegando até fingir que estava jogando basquete. Com uma maior envergadura e acurácia nos golpes, O’Malley deu uma aula no primeiro round. Sem uma esquiva apurada, Moutinho foi um alvo fácil. Moutinho continuou sendo um alvo fácil para O’Malley no segundo round. Impressionante a quantidade de golpes que ele levou no rosto, e sem esboçar reação. No round final, os danos no rosto de Moutinho ficaram mais evidentes. Mesmo assim, o luso-americano continuou partindo para cima, de forma incansável. No final do round, Hard Dean decidiu encerrar a luta, tamanho o castigo sofrido por Moutinho.


Por Silvio e Flavio Doria

Apesar da alta expectativa para as lutas do card principal, que apesar de não reunir nenhum nome de peso da organização trazia bons casamentos de luta, acabou se materializando em um card com lutas fracas em nossa visão (ao contrário do card preliminar é bom que se diga). Pela luta principal do evento, Ciryl Gane (9-0-0) venceu Alexander Volkov (33-9-0) por decisão unânime (50-45. 50-45. 49-46) após cinco pouco empolgantes rounds. Nosso destaque no card principal foi Timur Valiev e Renato Moicano. Em uma luta empolgante, Timur Valiev (18-2-0) venceu o brasileiro Raoni Barcelos (16-2-0) por decisão majoritária (28-28, 29-28, 29-28), mesmo após sofrer dois knock-downs durante a luta. Já Moicano (15-4-1) venceu sem grande dificuldade Jai Herbert (10-3-0) por finalização no final do segundo round, em uma excelente atuação.

Card principal


Ciryl Gane vs. Alexander Volkov

Categoria: Pesado

Em uma luta de cinco pouco empolgantes rounds, Ciryl Gane (9-0-0) venceu Alexander Volkov (33-9-0) por decisão unânime (50-45. 50-45. 49-46).


Incomum para uma luta de pesados, Volkov e Gane trocaram uma série de chutes nas pernas. Em volume de golpes desferidos e contundência, Volkov foi superior. O segundo round foi mais parelho, com uma diferença minima de golpes desferidos por ambos. Porém, o fato de Gane dominar o centro do octógono e tomar a iniciativa na trocação nos faz pesar nossa balança para o lado de Gane no segundo round. No terceiro round, Gane foi melhor em nossa visão. Mais confiante, Gane continuou assumindo iniciativa nos ataques. Além disso, Gane conseguiu acertar boas combinações em Volkov, fazendo-o recuar algumas vezes durante a trocação. Gane pareceu mais cansado no quarto round, abrindo espaço para Volkov crescer no round. Os melhores golpes (mais contundentes) foram de Volkov no round. No quinto e último round, Gane se saiu melhor. O cansaço o fez perder potência nos golpes, mas ainda assim ele mostrou um maior volume de golpes. Em termos de velocidade, Gane também pareceu a frente. Nos minutos finais, Volkov esta desferindo seus golpes em câmera lenta, ao contrário de Gane.

Tanner Boser vs. Ovince Saint Preux

Categoria: Pesado


Por nocaute, Tanner Boser (20–8-1) venceu Ovince Saint Preux (25-16-0) ainda no segundo round. Sua vitória foi polêmica, aparentemente ele usou as mãos para se projetar na grade e sair de uma posição desconfortável no chão. Mais tarde, com outros ângulos de câmeras foi possível ver que ele não chegou a prender a mão na grade de fato.

Boser fez um bom primeiro round. Apesar de uma luta pouco movimentada. Boser foi o responsável por boa parte dos ataques na luta. OSP pareceu estar controlando o gás para os rounds seguintes. No segundo round, Boser conseguiu um nocaute após se livrar do jogo de chão de OSP. Porém, para sair do chão, Boser claramente usou a grade pra se projetar e se elevar, o que gerou bastante polêmica.

Raoni Barcelos vs. Timur Valiev

Categoria: Galo


Em uma luta empolgante, Timur Valiev (18-2-0) venceu o brasileiro Raoni Barcelos (16-2-0) por decisão majoritária (28-28, 29-28, 29-28), mesmo após sofrer dois knock-downs durante a luta. Em entrevista ainda no octógono, Valiev atribui sua resistência aos seus treinos com Frank Edgar.

O round inicial foi bastante parelho, porém vimos uma ligeira vantagem para Valiev por conta do maior volume de golpes (com contundência). Raoni começou o segundo round com sensor de urgência. Mas sua maior movimentação (ele também dominou o centro do octógono) não se traduziu em efetividade nos golpes em boa parte do round. Porém, o brasileiro conseguiu dois knock-downs, virando o resultado do round. No round final, Valiev se saiu melhor em nossa visão, o que é surpreendente dado a forma como ele terminou o segundo round, sofrendo dois poderosos golpes que o levaram ao chão.


Andre Fili vs. Daniel Pineda

Categoria: Pena


Melhor luta do card principal, Andre Fili vs. Daniel Pineda acabou de um jeito inesperado. Um dedo acidental de Fili em Pineda acabou levando o fim da luta. Pineda ficou impossibilitado de enxergar de um dos olhos, como comprovado pelo médico do UFC. Portanto, a luta foi encerrada sem um resultado definido.

Tim Means vs. Nicolas Dalby

Categoria: Meio-Médio


Em uma luta intensa, de três rounds completos, Tim Means (32-12-1) venceu Nicolas Dalby (19-4-1) por decisão unânime (29-28, 29-28, 29-28), completando uma sequência de três vitórias consecutivas.


Dalby começou o round com uma trocação bastante agressiva, mas logo foi derrubado por Means, que passou a controlar a luta em boa parte do tempo. Chamou nossa atenção a respiração profunda de Dalby, sugerindo um cansaço provavelmente por conta de seu inicio mais forte na luta. O segundo round foi mais parelho, porém vimos ligeira vantagem para Dalby, que mesmo mais cansado, ele conseguiu refletir seu volume maior de golpes em contundência. O round final começou intenso como o primeiro, com uma trocação intensa e Dalby levando a melhor. Ao longo do round, o ritmo esfriou, com Means tentando manter Dalby na grade, mas foi Dalby que levou a melhor nos momentos em que houve trocação entre ambos.

Renato Moicano vs. Jai Herbert

Categoria: Leve


Pela primeira luta do card principal, Renato Moicano (15-4-1) venceu sem grande dificuldade Jai Herbert (10-3-0) por finalização no final do segundo round.


Moicano começou o round inicial impondo seu ritmo. Embora ele não tenha sido contundente em golpes, ele foi dominante no round. No segundo round, Moicano manteve sua estratégia de levar a luta para o chão, onde ele de fato é dominante. O brasileiro passou boa parte round no chão, dominando Herbert. Até que no minuto final ele conseguiu a vitória por finalização (estrangulamento).

Por Silvio e Flavio Doria